sexta-feira, maio 29, 2015
Guarapari

Disposição. Essa pode ser a palavra para definir o candidato ao governo Paulo Hartung (PMDB). Ele esteve em Guarapari na quinta feira (17), a convite do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Guarapari (Sindicig), para debater questões econômicas e políticas sobre o Estado e também sobre Guarapari. Muito animado, o ex-governador não fugiu de nenhuma resposta proposta pelo Portal 27. Confira abaixo a entrevista completa.

Eu e hart
“houve um processo de desacelerar o desenvolvimento social, econômico do Estado”. Foto Vinicius Rangel.

O senhor se lançou candidato e veio com o slogan que o “Espírito Santo Pode mais”. Onde Estado pode mais?

A campanha ainda não tem slogan. Esse é o nome da coligação. O slogan acho que nos próximos dias vai ficar pronto, a nossa marca e o slogan da campanha. Mas o Espírito Santo pode mais, ser visível, houve um processo de desacelerar o desenvolvimento social, econômico do Estado. Precisamos retomar esse caminho. E eu falo isso de uma forma propositiva. De quem ama o Espírito Santo. De quem tem carinho especial pelo desenvolvimento dos capixabas. É isso que me move, me empurra e me dá essa energia boa que vocês estão vendo aí, para que a gente possa fazer uma disputa eleitoral bacana, em torno de boas propostas para o Estado e depois, se for o desejo do povo, que eu volte a exercer o cargo de governador e fazer um belíssimo governo, se Deus quiser, melhor dos que o que eu já fiz. (Risos)

Depois de oficializar a sua candidatura, o senhor andou “trocando umas farpas” com o governador Casagrande. Como você espera que seja essa eleição. Será um debate de ideias ou algo mais forte?

IMG_0222
“Ex-governador tem que ficar é quieto. Mas depois quando eu virei candidato ao governo, candidato tem que debater as coisas.”Foto Wilcler Lopes
IMG_0231
“Vou submeter este projeto a apreciação dos capixabas, para que eles contribuam, avaliando”.Foto Wilcler Lopes

A sua colocação não é uma colocação justa (risos). Eu não troquei farpas nenhuma. Se você pegar o que saiu na imprensa, você vai ver. O que eu fiz foi na convenção do PMDB, fiz um discurso que está escrito, fiz questão que ele fosse escrito, para ele entrar na história, inclusive registrei junto a com a minha candidatura, esse discurso no Tribunal Eleitoral e fiz uma avaliação do trabalho que eu fiz, do que aconteceu no Estado nos últimos tempos. Uma avaliação precisa.  Isso no campo das ideias, não no campo de farpas, não acredito nesse negócio de farpas, provocação, disse me disse. Eu nuca fiz a minha vida pública e nem minha vida privada por esse caminho. Não tem nada disso. Tem uma avaliação boa, bem feita, eu acho correta, do que aconteceu no Espírito Santo nesses últimos anos. Fiquei calado este tempo todo por que eu era ex-governador. Ex-governador tem que ficar é quieto. Mas depois quando eu virei candidato ao governo, candidato tem que debater as coisas. Só falei depois que eu já estava escolhido pela convenção do PMDB como candidato ao governo.  Aí é responsabilidade nossa debater. Mas debati em altíssimo nível. E é assim que eu me comporto. Se você olhar minha história, que não começou ontem, muito embora eu seja muito jovem (risos), isso é só uma brincadeira, é sempre no campo das ideias. Eu nasci no interior do Espírito Santo, vim para Vitória por um desejo da minha família de dar um estudo diferenciado aos filhos, naquela época isso dependia muito de vir para um centro principal, estudei e fui ocupando os cargos, um a um, disputando eleição e ganhando com propostas, com ideias, com ideais. É isso que move a minha vida.

IMG_0260
Prefeito Orly Gomes (DEM) vai apoiar Paulo Hartung (PMDB). Foto Wilcler Lopes

Nas primeiras pesquisas o senhor teve uma avaliação muito boa. Como o senhor avalia as pesquisas e esse recall que você ainda tem, depois de estar fora do governo?

Eu avalio com alegria, mas com muita humildade. A eleição está só começando, vamos ter oportunidade de mostrar as ideias, eu fiz um pré-projeto muito legal, apresentei ideias sobre diversas áreas do Espírito Santo, vou submeter este projeto a apreciação dos capixabas, para que eles contribuam, avaliando , trazendo novas ideias, novos temas e assim por diante, para a gente fazer um projeto de governo. É assim que eu gosto de trabalhar. Você viu hoje as minhas intervenções, são sempre intervenções propositivas, programáticas, por que é isso que eu acredito.

O senhor está aqui com a presença do prefeito de Guarapari, Orly Gomes (DEM), temos o ex-prefeito Edson Magalhães (DEM), que também está na sua coligação, o senhor vai caminhar com Edson? O Edson é o seu candidato a Deputado Estadual? Como você pretende fazer essa campanha em Guarapari?

Vamos caminhar com os nossos candidatos. O Edson é um dos candidatos bons da nossa coligação, vamos caminhar com muito carinho, junto com Edson, junto com os outros candidatos da nossa coligação Estado a fora, temos uma boa coligação, você vê o meu vice, um vice de luxo, César Colnago, uma figura querida no Estado inteiro. Foi meu secretário de agricultura, quando eu estive na prefeitura de Vitória, foi meu secretário também, uma pessoa experiente, treinada, então a chapa ficou bacana, uma coligação bacana. É isso que nós apresentar aos capixabas. Vamos caminhar juntos. O Edson vai fazer o lançamento dele daqui a poucos dias e  nós vamos estar juntos também

Um grave acidente entre uma moto e uma van de passeio, deixou uma pessoa morta, na manhã de hoje (20), na rodovia ES 060, próximo a pedreira em Guarapari. Era por volta das 6h, quando os moradores do bairro foram acordados com o barulho da batida.

IMG-20140720-WA0031
Corpo do motociclista ficou no chão a espera da perícia.

Segundo informações da polícia,  André Luiz Cardoso Machado, 37 anos, morador de Setiba, pilotava a motocicleta em alta velocidade, quando invadiu a contramão e colidiu frontalmente com uma van branca, que fazia o transporte de 15 pessoas, vindas de uma festa de formatura no município de Vila Velha.

IMG-20140720-WA0003
Van estava vindo de uma formatura em Vila Velha.

Com o impacto da colisão, a moto de modelo Kasinsk, com placa MQI 9540 de Cariacica, ficou destruída e André morreu no local. Os policiais realizaram o teste do bafômetro no motorista da Van não constatando embriaguez.  Nenhum dos passageiros se feriu no acidente.  Durante esse final de semana foram registrados na cidade saúde, três graves acidentes, (veja aqui) deixando um duas pessoas mortas e outras duas em estado grave. (Confira aqui)

Grave acidente no início da tarde de hoje (19) deixou duas pessoas feridas, uma delas em estado grave. Thiago Henrique Carvalho de 22 anos conduzia o veículo de modelo Bora, com placa de Guarapari, MTE 2588. No banco do carona estava sua prima, Uliana Sabrina Aragão de 16 anos. Os dois acabaram batendo em uma árvore, que fica no meio da Av. Jones dos Santos Neves, logo após perder o controle do veículo.

20140719_145621
O veículo ficou totalmente destruído. O tronco da árvore em que o automóvel bateu, acabou ficando presa as ferragens.

O acidente aconteceu por volta das 14h. Segundo a mãe de Uliana, eles haviam acabado de sair do bairro São José, para ir ao supermercado em Muquiçaba. “Acabou a festa. Eles saíram para comprar gelo no supermercado Epa, para darmos início ao meu aniversário”, gritava a mãe desamparada, ao ver a situação do carro.

A cena chamou a atenção de muitas pessoas que passavam pelo local. O tronco da árvore atravessou o carro e ficou agarrada na parte da frente do automóvel. O motor foi parar alguns metros depois e ainda partes do veículo ficaram espalhadas na pista.

20140719_150841
O motor parou há alguns metros do veículo.

Seis bombeiros e seis socorristas do SAMU se mobilizaram para a retirada das vítimas. Foi preciso cortar o teto do automóvel para que as equipes pudessem trabalhar. Demorou quase uma hora, para que as vitimas fossem retiradas com vida, do fundo do veículo.

Segundo a equipe de resgate, Uliana sofreu fraturas na perna esquerda e passa bem, já o motorista Thiago foi retirado do veículo inconsciente e encaminhado para um hospital da Grande Vitória.

20140719_144806
Seis bombeiros e seis socorristas do SAMU se mobilizaram para a retirada das vítimas.

De acordo com a equipe dos bombeiros, Uliana estava de cinto, já Thiago não usava no momento do acidente. E o que amenizou o impacto da batida, foi o air bag. “No momento da batida o air bag abriu, e fez com que evitasse uma tragédia ainda maior”, explicou o sargento.

Ainda não foi possível saber as causas do acidente. O velocímetro do veículo parou em 120km/h. Algumas testemunhas disseram que o grande causador do desastre, pode ter sido a alta velocidade. Uma testemunha que vinha logo atrás do veículo, contou que ele passou por ele e logo a frente bateu. “Eu estava parando ali no acostamento, quando vi o carro passando a toda velocidade e depois só escutei o barulho. Olhei e vi a árvore atravessada no carro. Não dava pra acreditar no que estava vendo”, contou uma testemunha que preferiu não ser identificada.

Outro acidente. Por causa desse acidente, o trânsito ficou lento no local, o que acabou causando um segundo acidente.

focus
No momento do acidente, o motorista do focus saiu correndo do carro em estado de choque. A frente do carro ficou bastante destruída.

A poucos metros do local, no sentido BR 101, um veículo de passeio acabou batendo na carroceria de um caminhão. O motorista Camilo Astori de 33 anos conduzia o veículo de modelo Focus, MSR 1455. No momento do acidente, ele saiu correndo do carro em estado de choque, e foi amparado por algumas pessoas que passavam pelo local.

De dentro do veículo começou a sair fumaça, e alguns moradores pegaram o extintor do próprio veículo para apagar o princípio de incêndio. Não houve feridos graves neste acidente.

A Prefeitura de Guarapari, além dos investimentos na área urbana, pavimentou a estrada que liga Buenos Aires a Boa Esperança, zona rural, trecho que compreende a Rota da Ferradura. A obra foi feita com drenagem pluvial, colocação de meio fio e asfaltamento de 4,4 Km, com recursos próprios da administração. Um investimento de aproximadamente R$ 2,1 milhões.

Além destes investimentos do município, o governo do Estado também investiu na região rural da cidade. Através do programa Caminhos do Campo, as coisas ficaram mais fáceis, para quem utiliza a estrada que liga a Rodovia BR 101 à comunidade de Boa Esperança, que já conta com uma nova estrada.

IMG-20140719-WA0012
Vereadores Serjão, Thiago Paterlini e Wanderley Astori, ao lado do prefeito Orly Gomes e do secretário de Estado Enio Bergoli. Foto Divulgação.

O trecho contemplado é de 8,3 quilômetros e faz parta da chamada Rota da Ferradura. A nova estrada vai contribuir com a melhoria do escoamento da produção agropecuária, facilitar o acesso da população aos serviços de educação e saúde e estimular o desenvolvimento do agroturismo, além de proporcionar segurança de quem trafega pelo trecho.

Para o vereador Thiago Paterlini (PMDB), o investimento é extremamente necessário para a vida do homem do campo. “Graças a Deus, a prefeitura e o governo ouviram essas comunidades e também os vereadores e nos atenderam com esses benefícios para o homem do campo. A nossa luta continua, estaremos sempre em busca de mais qualidade de vida tanto no campo como na cidade”, disse.

10502147_751985808198292_4270351486861322341_n
Autoridades e moradores prestigiaram o evento. Foto Divulgação.

O presidente da Câmara Wanderlei Astori, também agradeceu pelos investimentos. “Eu sou nascido e criado no interior do município. Só eu sei como são importantes essas obras para o homem do campo”, disse.

A solenidade de inauguração aconteceu hoje (19), e contou com a presença do prefeito Orly Gomes, juntamente com o Secretário de Estado de Agricultura Enio Bergoli. “Com esse asfaltamento teremos todo este trajeto oferecendo mais mobilidade às comunidades.Estamos dando mais qualidade de vida ao nosso produtor rural e as suas famílias”, disse o prefeito Orly.

Um pedestre que estaria alcoolizado causou um grave acidente na manhã de hoje (19), no bairro Santa Mônica em Guarapari. De acordo com as informações apuradas por nossa equipe, o pedestre João Manuel de Souza, 47 anos, mais conhecido como “Varão”, visivelmente embriagado atravessou a Rodovia do Sol, próximo ao restaurante Galetão, quando foi atingido pela moto guiada por Diego Boneli de Castro,25 anos. “Ele estava bebendo desde cedo. Tem problemas com a bebida. Bebe todo dia”, disse um amigo de Varão.

IMG_0117
Muito machucado, Diego foi atendido pelos bombeiros. Foto Wilcler Lopes.

De acordo com testemunhas, o impacto da batida foi tão forte que o garfo – parte da frente da moto – quebrou, levando o motociclista ao chão. “Eu achei que ele tinha morrido. Ele bateu a cabeça no meio fio e o capacete quebrou na hora”, disse uma mulher que presenciou o acidente. Com o impacto da batida,  mesmo quebrada a moto continuou andando, parando somente cerca de 500 metros a frente.

IMG_0152
João foi atendido pelos médicos do Samu e encaminhado para Vitória. Foto Wilcler Lopes.

Os bombeiros deram os primeiros socorros a Diego, que foi encaminhado para o Hospital São Pedro em Muquiçaba. Varão foi atendido por uma equipe do SAMU. Devido ao seu estado grave, outra equipe foi chamada para o atendimento. Os médicos do Samu deram os primeiros socorros e o homem foi encaminhado para o Hospital São Lucas em Vitória.

Reclamação. Os moradores do local estão preocupados com as obras que estão sendo feitas da rodovia do sol pelo governo o Estado.  Segundo eles, se nada for feito, outros acidentes virão. Durante essa semana nossa equipe entrou em contato com o DER, para saber respostas dessas reclamações dos moradores mas não obtivemos retorno.

IMG_0126
Com o impacto da batida a moto continuou andando desgovernada até cair cerca de 500 metros a frente. Foto Wilcler Lopes

José Derli, morador de Santa Mônica é um dos que criticam a situação. “Ficou muito difícil esse espaço. São sete metros de asfalto, fica uma rua estreita e no verão isso vai causar mais acidentes do que está acontecendo. Vai ficar insuportável”, diz ele. Ele reclama ainda que não houve uma consulta a comunidade. “O governo tem que tomar uma atitude’, afirmou.

TV27. Veja uma entrevista com uma moradora do bairro.

Por: Carlos José Lourencini Palaoro

A delinquência juvenil é um tema que preocupa a sociedade, e tem-se assistido todos os dias os efeitos do problema. É difícil não importar-se diante dos mais variados flagrantes que vão de o desrespeito do adolescente aos pais e professores até o cometimento de roubos, participação no tráfico de drogas e autoria em assassinatos, na contramão do valor à vida.

Diante das mazelas sociais e da espetaculização dos crimes, foca-se na pasta Segurança Pública as medidas necessárias para que praticamente tudo se resolva num passe de mágica. No caso dos delinquentes juvenis simplesmente se ignora as causas dos problemas, que vão desde o “apagão da família”, termo citado pelo jornalista e Doutor em Comunicação Carlos Alberto Di Franco, em artigo que defende a ausência de limites e a crise da autoridade como cerne do problema, até a falta de oportunidades de convívio sadio em comunidade, com envolvimento em atividades culturais e esportivas que valorizem o respeito ao próximo e o amor à vida.

dia01-16-02-14E a Educação, a pedra de toque para mudar esse quadro adverso, é muito falada não apenas em campanhas eleitorais, mas em quaisquer discursos nos mais variados ambientes, inclusive acadêmicos. No entanto, não é prioridade sequer da sociedade, ainda imersa numa obscuridade nesse assunto. Prefere-se apenas o discurso “politicamente correto”, e sem ações concretas, em ressaltar anos a fio, dia após dia, a importância da qualidade da Educação num País onde as perguntas nos telejornais são tendenciosas a respostas de que a solução da violência praticada por menores e adolescentes será curada, quase que exclusivamente, com a repressão realizada pelos órgãos de Segurança Pública, os quais são responsáveis “exclusivos” pelo “combate ao tráfico” e “guerra à bandidagem”.

Analisando-se as causas e não apenas efeitos, o Brasil mantém posições longínquas em relação a centenas de outras nações no quesito educação. Fato é que no Brasil a aplicação dos recursos públicos na educação alcança, em termos medianos, os níveis superior e médio, enquanto nossas crianças do ensino fundamental, ainda em meio período e sem qualidade, estão a maior parte do dia nas ruas ou trancadas em casa com os pais trabalhando. Os jovens então crescem, em considerável parte, sem referências morais e âncoras afetivas, buscando preencher seus vazios emocionais na rua, em meio ao tráfico e outros maus exemplos, justamente na idade de busca da autoafirmação e indenidade com algum grupo que lhe pareça mais afim.

Sobre o papel de educadores dos pais, a tragédia está, em sua maior parte, na desestruturação da família, na despreocupação de concretar valores na mente da criança que formarão um cidadão de bem, que entenda que as relações afetivas não podem ser suplantadas por contatos virtuais. Que um abraço a alguém próximo não é substituído por um e-mail ou uma “curtida”. Que o respeito ao próximo vai além de um bom dia sem olhar nos olhos, que ser cidadão é não jogar o papel de bala pela janela do carro, não impor às pessoas arrogantemente a música do seu telefone no ônibus ou ainda não esticar as pernas sobre a poltrona da frente no cinema, sem se importar com os outros. Não fazer com os outros aquilo que não gostaríamos que fizessem conosco, eis uma lição para a vida que todos precisam aprender em casa.

Não esqueçamos, porém, que em nossas terras o diagnóstico apaixonado vende mais, e assim a solução na diminuição do crime no Brasil passa inevitavelmente pela defesa da diminuição da idade penal, tema sempre abordado como uma das soluções para diminuição da sensação de impunidade. As linhas levantadas pelo cientista social brasileiro Marcos Rolim, defensor da concepção da construção de um caminho de paz e respostas palpáveis através de reflexão e isenção ao invés de “cerrar os punhos”. O processo pode ser iniciado nos perguntando por que os crimes violentos no Brasil alcançam seu “pico” aos 20 anos e não logo antes dos 18, início da idade penal? Se a imputabilidade penal pudesse oferecer uma resposta adequada à violência juvenil, não seria de se esperar que houvesse menos crimes entre, por exemplo, os 18 e 20 anos se comparados àqueles cometidos entre os 16 e os 18?.

2011-06-01-jovens_violencia

Numa análise mais ampla sobre a impunidade propriamente dita e a desordem no convívio social, não se pode confundir a simplicidade discursal do caminho da educação com abstenção a leis fortes e aplicação rigorosa como base na construção de uma cultura. Por exemplo, em um país bem desenvolvido socialmente em que uma criança já cresça praticando civilidades e gentilezas através de exemplos simples e regras sociais bem claras, como não jogar lixo nas vias públicas e parar antes da faixa de pedestre, a severa punição de multa e\ou cumprimento de penas alternativas não são extintos. Dessa forma, a cultura é construída por regras bem claras e respeitadas, e quanto mais cedo iniciarmos tais iniciativas aumentaremos potencialmente comportamentos mais respeitosos, com melhor e mais tranquila conscientização das novas gerações, sem jogar o fardo para a Polícia depois que “o leite já foi derramado”! Precisamos produzir cidadania ativa e não meramente formal e falaciosa.

Em todos os casos, somado às punições previstas em situações de conflito com a lei, não podemos esquecer o enfoque do protocolo que norteia o tratamento à criança e ao adolescente, ou seja, a preservação de seus direitos desde o nascimento. A legislação brasileira segue imperativamente por essa proteção, com tutela dos pais e\ou responsáveis, cabendo ao Estado cumprir tal tarefa quando há falta ou falha do poder familiar. Assim, quando um adolescente se encontra em locais e horários de risco desacompanhado, não há o que se falar em direito de ir e vir, pois o Código Civil, apenas para dar um exemplo legal, ressalta que o menor de 18 anos não envereda por tais caminhos jurídicos, ele não possui vontade própria, é tutelado, e se os responsáveis não se imbuem, mais uma vez, do cumprimento desse dever, cabe ao Estado averiguar com o objetivo de proteger o desassistido.

Na cidade de Guarapari\ES, a Polícia Militar em conjunto com a Polícia Civil, Prefeitura, Conselho Tutelar, Juizado da Criança e Adolescente e Ministério Público, realiza operações de fiscalização da presença de menores e adolescentes desacompanhados dos pais em locais de grande vulnerabilidade, chamando-os à responsabilidade pela falta do devido zelo com a vida de quem deveriam salvaguardar, como previsto em lei, criando uma demanda para que o estado haja na proteção dos direitos daquelas crianças e adolescentes. Tal trabalho tem apresentado resultados excelentes e detém o apoio da comunidade, mas limita-se perante outras necessidades em segurança primária.

brasil-seguranca-armamento-20130502-03-size-598

Dentre as várias medidas do estado no contexto de prevenção, deve se desenvolver um trabalho de conquista dessas crianças e adolescentes antes que o tráfico de drogas os seduzam, e um grande destaque no Espírito Santo e em outros Estados do Brasil, principalmente São Paulo e Minas Gerais, é o PROERD, Programa de Educacional de Resistência às Drogas, realizado pelas Polícias Militares. O Programa é realizado por policiais capacitados como professores fardados nas escolas, com aulas sobre valorização da vida, entendimentos e concepções de fortalecimento da personalidade pelo caminho sem drogas, procurando preencher alguns vazios perigosos que se formam na cabeça da criança.

Assim trabalhemos sem fugir da realidade de que, claramente, o adolescente está inserido num ambiente com crise de autoridade na família e no país, educação demasiadamente deficitária e discrepante impunidade. Aliam-se ao preconceito social, leis frouxas e sistema de justiça penal montado pra não funcionar, com o desfoque para fora das causas da criminalidade. Assumamos que não basta descrever medidas simplistas sem analisar o que pode real e objetivamente influenciar no caminho de resultados palpáveis.

Enfim, uma resposta melhor apurada a essa questão não passa pela definição de mais punição aos menores infratores, mas pela sua recuperação numa sociedade desigual. Não obstante a efetiva punição e mudança exemplar nesse aspecto. Mas o foco, inicialmente, deve se voltar ao menor como vítima, vítima de homicídio, aliciamento ao tráfico de drogas, violência doméstica, abuso sexual e outros crimes, tão relatados ao fascínio nebuloso de uma população doente que credita a solução dos problemas da delinquência juvenil exclusivamente às ações policiais, quando deveriam ser agendadas políticas públicas de diminuição da desigualdade de oportunidades e educação de qualidade às nossas crianças. E a punição deve se pautar pelo exemplo de respeito ao dinheiro público e prioridade ao cientificismo no Sistema de Justiça Penal, sem soluções parciais e que passam ao largo da defesa dos direitos da criança e adolescente, quiçá de quaisquer soluções para diminuição da criminalidade.

Sete pessoas foram detidas no Sul do estado durante a operação Salmos 125. Ao todo, 2.691 pessoas e 1.692 veículos foram abordados. No trânsito, 116 autos de infração foram confeccionados, 09 CNHs foram apreendidas e 01 CRLV foi recolhido. No decorrer da operação, 04 armas de fogo e 21 veículos foram apreendidos, além, de 616 ocorrências atendidas.

Todo material apreendido na região foi levado para as Delegacias responsáveis
Todo material apreendido na região foi levado para as Delegacias responsáveis

No 3º Batalhão, em Alegre, durante as buscas foram localizadas com um menor infrator, prontas para serem comercializadas, várias pedras de crack, uma pedra de quase 100 gramas da mesma droga, 09 papelotes de cocaína, 05 buchas de maconha, uma balança de precisão, uma espingarda calibre 32 e um cartucho. O menor apreendido foi conduzido até a Delegacia local.

Ainda em Alegre foi apreendida com Jonas Ferreira, de 42 anos, outra arma de fogo, uma espingarda calibre 38 e farta munição do mesmo calibre. Também foram apreendidas com Jonas 24 munições de calibre 32, 58 de calibre 22, uma banana de dinamite e 10,5 metros de nitropenta. O proprietário foi conduzido a DP local.

unnamed (4)

Durante as abordagens no município de Cachoeiro de Itapemirim, foi localizado um foragido da Justiça, conduzido a DP Local. Ainda no município, por volta das 19h houve uma tentativa de homicídio no bairro Bom Pastor, sendo o autor do crime preso em flagrante logo em seguida. Foram apreendidos 07 veículos, 03 CNH’s e confeccionados 18 autos de infração.

Já em Marataízes, durante as buscas foram efetuadas várias abordagens, culminando com 04 veículos apreendidos e 06 autos de infração confeccionados.

Em Ibatiba também foi detido um foragido da justiça com mandado de prisão em aberto, sendo conduzido até a delegacia da cidade.

No município de Afonso Cláudio vários veículos e estabelecimentos foram abordados, resultando em 370 pessoas abordadas e 04 autos de infração confeccionados;

Nas buscas realizadas em Anchieta, 04 veículos foram apreendidos e 16 autos de infração confeccionados.

unnamed (3)

Para o comandante do Comando do Policiamento Ostensivo do Sul (CPO-S), tenente-coronel Hermano Pinto de Oliveira, os números são positivos e tem colaborado para a diminuição das mortes provocadas por homicídios com armas de fogo.

A operação iniciou às 6h de quinta-feira (17) e encerrou às 06h de hoje (18). Participaram aproximadamente 560 policiais militares.

Policiais do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) participaram da soltura de 162 animais silvestres, na tarde desta quinta-feira (17), em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), na zona rural do município de Presidente Kennedy, sul do Espírito Santo.

Alguns animais são recolhidos ou apreendidos em condições delicadas de saúde.
Alguns animais são recolhidos ou apreendidos em condições delicadas de saúde.

A ação foi acompanhada pelo biólogo e coordenador do Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereias), José da Penha Rodrigues, após cuidadosa escolha do local e parecer favorável do Ibama. Segundo o biólogo, os animais são oriundos das apreensões, recolhimentos e entregas voluntárias, e após estudos de comportamento, recebem alimentação adequada e são reintroduzidos ao seu habitat natural para viverem em liberdade e consequentemente reproduzirem e cumprirem o seu papel biológico na natureza.

Dentre os animais silvestres soltos, destacam-se dois macacos bugio, dez jabutis-amarelos, além de canários-da-terra, coleiros, sanhaços, sabiás, maritacas, dentre outros, perfazendo um total de 162 animais.

De acordo com o capitão Reinaldo Faria, comandante da 4ª Companhia Ambiental, alguns animais são recolhidos ou apreendidos em condições delicadas de saúde.

P5 COMUNICAÇÃO SOCIAL SOLTURA (6)

“Alguns animais são apreendidos em situação de estresse, mal alimentados e em condições delicadas de saúde, mas felizmente contamos com o trabalho valioso do Cereias na recuperação desses importantes animais”.

Para o capitão Roberto Martins, da Seção de Comunicação Social do BPMA, a soltura vem a coroar o fechamento de um ciclo após as apreensões e recolhimentos dos animais silvestres, quando o momento é registrado com fotos e filmagens e todo o material produzido será utilizado em atividades de educação ambiental em todo Estado, para que as atuais e futuras gerações possam apreciar esses belos animais e conhecer a sua importância para o equilíbrio do meio ambiente.

unnamed (1)

Todos os animais soltos são devidamente marcados, tendo um registro cuidadoso incluindo quantidade e sexo, além da produção de um registro fotográfico e boletim de ocorrência ambiental. Novas solturas já estão agendadas ao longo do ano em diversas regiões do Espírito santo.

Um adolescente e sete adultos foram detidos na noite de ontem (17) com drogas. Ainda por volta das  19:30h, Diego Cardoso Dutra de 31 anos, Patrick Borges Badaró de 23, Raylan Felix Baptista de 18, Shirliney da Silva Brandão de 19, Pierre Fernandes dos Santos de 25 e Emenildo Barcelos de 41 anos foram abordados no bairro Coroado, em Guarapari, e com eles a polícia encontrou uma pedra grande de crack e um pote plástico contendo 22 pedras de crack, embaladas e prontas para a venda.

caso 2

A abordagem aconteceu quando os policiais militares do GAO faziam o patrulhamento tático pelo bairro, e visualizaram o grupo em atitude suspeita, procedendo à abordagem. Durante busca pessoal nada foi encontrado de ilícito com os indivíduos, mas toda a droga foi encontrada através de busca no local em que eles estavam. Diante dos fatos, todos foram conduzidos à 5ª Delegacia Regional de Guarapari.

Praia do Morro. Edgar Antônio Soares Júnior de 21 anos e um adolescente de 17 foram detidos na Av. Munir Abud, do bairro Praia do Morro em Guarapari. Por volta das 23h de ontem (17), policiais militares que faziam o patrulhamento preventivo pelo bairro, visualizaram dois indivíduos em atitude suspeita em um local conhecido como ponto de vendas de entorpecentes e procederam à abordagem.

caso 1

No local onde eles estavam, foram localizadas 43 pedras de crack, uma bucha de maconha e um cigarro também de maconha. Após as verificações, os acusados e todo material ilícito foram encaminhados à 5ª Delegacia Regional de Guarapari.

Chegou a sexta feira e o Sine de Guarapari continua com diferentes oportunidades de emprego. Há 48 vagas disponíveis para trabalhar na cidade, para quem possui diploma de ensino superior e para quem só tem o ensino médio. Confira a lista:

ATENDENTE DE LANCHONETE – MASC / FEM
AUXILIAR DE COZINHA P/ LANCHONETE – MASC / FEM
AUXILIAR DE PRODUÇÃO E ATENDIMENTO P/ SORVETERIA – MASC / FEM
AUXILIAR DE SUSHIMAN – MASC / FEM
CHAPISTA DE LANCHONETE – MASC
CONFEITEIRO DE PADARIA – MASC / FEM
CONFEITEIRO PARA HOTEL – FEM
CONSERTADOR DE EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS – MASC / FEM
COSTUREIRA DE MÁQUINA OVERLOQUE – MASC / FEM
COSTUREIRA DE MÁQUINA RETA – INDUSTRIAL – MASC / FEM
COZINHEIRO (A) DE RESTAURANTE – MASC / FEM
ELETROMECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE ELEVADORES – MASC
FARMACÊUTICO (A)
FONOAUDIÓLOGO (A)
GERENTE DE LOJA (PRODUTOS ALIMENTÍCIOS) – MASC / FEM
INSTALADOR DE ANTENAS – MASC
MOTOBOY – MASC
OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS P/ LANCHONETE – MASC
PINTOR DE AUTOMÓVEIS – MASC / FEM
REPARADOR (A) DE APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS (CONSERTOS)
REPOSITOR – EM SUPERMERCADOS
SUSHIMAN – MASC / FEM
VENDEDOR EM DOMICÍLIO – MASC / FEM

VAGAS PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS – PNE / PCD

AUXILIAR DE SUSHIMAN
REPARADOR (A) DE APARELHOS ELETRODOMÉSTICOS
SUSHIMAN

Para obter a vaga, é necessário ir ao Sine, que funciona na Rua Santo Antônio, 243, Muquiçaba, de segunda a sexta das 08hs às 17hs, portando os documentos necessários para cadastro no sine: carteira de trabalho, cartão do PIS, CPF, identidade e comprovante de endereço com cep atualizado da rua.

As vagas poderão sofrer alterações sem aviso prévio. Para mais informações, siga os contatos (27) 3361 – 4557 / (27) 3161-1890 ou pelo e-mail: [email protected]

Redes Sociais

Últimas notícias

0 8
O concurso do Banestes registrou 74.349 inscritos. O objetivo do processo seletivo é formar cadastro de reserva para todas as regiões do Espírito Santo....

  • Função: Cortador de Tecidos
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$1200
  • Empresa: L.C. Dos Santos Me
Candidatar

  • Função: Cortador de Tecidos
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$1200
  • Empresa: L.C. Santos Me
Candidatar

  • Função: Vendedor Externo
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$1200
  • Empresa: Infinity Line (Grupo Prime)
Candidatar

  • Função: Instrutor de Ensino Profissionalizante
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Microlins
Candidatar

  • Função: Professor de Literatura Inglesa
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Microlins
Candidatar

  • Função: Costureira
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$850
  • Empresa: Só Uniforme
Candidatar

  • Função: Auxiliar de Loja
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$1000
  • Empresa: Bebydas.Com
Candidatar

  • Função: Instrutor de Ensino Profissionalizante
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Microlins
Candidatar

  • Função: Montador Soldador
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Art-Inox
Candidatar

  • Função: Coordenador de Vendas
  • Cidade: Guarapari
  • Salário: R$1750
  • Empresa: Baseerh.Com.Br
Candidatar

Powered by SINE