Em 2019, a EDP registrou 222 ocorrências de pipas na rede elétrica que abastece a região Sul do Estado, deixando 38.602 clientes sem energia em algum momento do ano. Para o atendimento, as equipes da concessionária são deslocadas para realizar o reparo e a limpeza da rede danificada, que, na maioria dos casos, tem a camada protetora da fiação cortada pela linha da pipa, interrompendo o fornecimento para a região.

Segundo a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), as pipas foram a quinta maior causa de mortes relacionadas a energia elétrica no país entre 2009 e 2017, atrás de construção/manutenção predial, ligações clandestinas, instalação de antenas e poda de árvores. No período foram registrados 77 óbitos.

Afonso Celso, gestor executivo da EDP, reforça a importância da prática segura da brincadeira. “Trabalhamos para restabelecer o fornecimento de energia o mais rápido possível, mas nossa preocupação maior é com a segurança. Sabemos que o cerol ainda é muito utilizado e, dependendo de sua composição pode ser condutor de energia, podendo causar sérios acidentes com quem está brincando e com outras pessoas.”

Para conscientizar a população e alertar crianças e adultos sobre como reduzir os riscos na hora de brincar, a EDP e o Instituto EDP realizam projetos durante todo o ano com as comunidades dos municípios onde a concessionária atua, principalmente em escolas e áreas com altos índices de ocorrências com a causa pipas.

Vale ressaltar algumas orientações:

  • Além de serem proibidos, o cerol e a chamada “linha chilena” trazem risco para motociclistas e pedestres e também oferecem perigo no contato com a rede de energia. Ao cortar a camada protetora da fiação, a linha interrompe a transferência de corrente elétrica, podendo provocar curto-circuito;
  • Empine pipas longe de rede elétrica, em locais onde não exista nenhum tipo de cabo de energia, de serviço telefônico ou antenas de celular. Isso evita acidentes e interferências na qualidade desses serviços;
  • Se a pipa ficar presa nos fios elétricos, não tente retirá-la. Nunca use varas nem suba no poste para tirar uma pipa. O choque, nestes casos, pode ser fatal;
  • Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedra presa a uma linha) ou qualquer outro objeto não devem ser lançados na rede;
  • Empinar pipas em locais como lajes e muros deve ser evitado. A proximidade com os fios de alta tensão aumenta o risco de acidentes graves e fatais, além do perigo de quedas.
  • Em caso de relâmpagos, recolha a pipa imediatamente. Não solte pipas em dias de chuva ou vento muito forte;
  • Alguns materiais utilizados na confecção de pipas são condutores de energia e aumentam o perigo quando em contato com a rede elétrica. Rabiolas feitas de fita VHS ou cassete e papel alumínio são alguns exemplos;

Um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras e, em casos mais extremos, causar a morte.

Para mais informações, solicitações e denúncia de possíveis riscos com a rede elétrica, ou para comunicar a interrupção do serviço, a EDP orienta à população a entrar em contato pelos canais de atendimento:

– Site EDP Onlinewww.edponline.com.br
– Aplicativo EDP Online (compatível com as plataformas Android™, iOS e Windows Phone).
– Central de Atendimento ao Cliente: 0800 721 0707 (ligação gratuita, 24 horas/sete dias por semana).
– Agência de atendimento presencial (endereços de todas as unidades no site EDP Online).

Confira alguns municípios que tiveram interrupção no fornecimento de energia por conta de pipas

MUNICÍPIO NÚMERO DE CLIENTES QUE TIVERAM O FORCIMENTO DE ENERGIA INTERROMPIDO
ATILIO VIVACQUA 3.226
CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 12.174
GUACUI 4.355
GUARAPARI 11.463
ITAPEMIRIM 1.029
PIUMA 2.120