Desde que as obras de recapeamento da Rodovia do Sol, no trecho que vai do trevo de Setiba ao trevo de Muquiçaba, pararam no final de 2013, o serviço inacabado, com ressaltos que chegam em alguns pontos a trinta centímetros, os acidente se acumulam sem que nenhuma providência fosse tomada.

Nesta semana um comerciante do bairro Aeroporto, alarmado com a quantidade de pessoas que tropeçam e caem por causa do ressalto, procurou a reportagem do Portal 27 para denunciar a situação.

“Praticamente todos os dias alguém tropeça aqui, quando vão atravessar na faixa de pedestres. Só em janeiro eu contei pelo menos 18 pessoas que caíram aqui”, lamentou o comerciante.

As quedas de pedestres são constantes por causa do ressalto. Foto: João Thomazelli/Portal 27

A maior parte dos acidentes acontecem com idosos e crianças. “Há pouco mais de três meses uma senhora tropeçou e caiu na faixa e ainda foi atingida por uma moto que não parou. as quedas acontecem o tempo todo. Basta ficar um tempo aqui para ver as pessoas tropeçando. E isso é apenas na frente do meu comércio. Imagina em toda a extensão da  rodovia”, declarou o comerciante.

Apenas nesta faixa de pedestres no bairro Aeroporto o comerciante já contou 18 quedas este ano. Foto: João Thomazelli/Portal 27

As obras de recapeamento da Rodovia do Sol no trecho citado foram paralisadas no fim do mandato do Governo Casagrande por conta de reclamações de comerciantes, pois um dos acostamentos da rodovia serviria de ciclovia, impossibilitando os motoristas de estacionarem em um dos acostamentos da via. Mas depois da paralisação, a obra nunca mais foi retomada e até hoje os acidentes acontecem.

Procuramos o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para saber se existe algum tipo de projeto para resolver o problema da Rodovia do Sol.

Em nota o órgão respondeu o seguinte:

“O DER informa que trecho citado na demanda está dentro da programação dos serviços de tapa-buracos e outros trabalhos de manutenção. Sobre a obra na rodovia, o DER está buscando solução para execução do trabalho”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.