A Defesa Civil de Guarapari começou a vistoriar os prédios da Praia do Morro. A ação começou após o aumento do número de registros na cidade de quedas de partes de fachadas e pastilhas de prédios que pode até fazer uma vítima fatal. 

De acordo com o coordenador do órgão, Romildo Scalzer, as mudanças climáticas e a falta de manutenção nos prédios contribuem para que acidentes possam acontecer.

A ação começou após o aumento do número de registros na cidade de quedas de partes de fachadas

“Sabemos que Guarapari nestes últimos anos vem sofrendo ataques muitos fortes pelas mudanças climáticas e isso afeta diretamente na fachada de um edifício. Nos últimos dois anos aumentou o número de ocorrências junto ao Corpo de Bombeiros e junto à Defesa Civil Municipal no que se refere a solicitação de vistoria em prédios”, explica.

Devido ao grande número de ocorrências, a Defesa Civil de Guarapari tomou a iniciativa de fazer vistoria visual, onde através de visita técnica, identifica os edifícios que precisam de manutenção. “Nós notificamos e entramos em contato com o síndico e a administradora para que eles possam tomar uma atitude e junto aos condôminos efetivar reformas. Vimos que as ocorrências estão principalmente nos prédios mais antigos. É importante que os responsáveis façam vistorias após cinco anos de construção de cada prédio”, esclarece.

A vistoria, segundo o coordenador da Defesa Civil, não vai se limitar a Praia do Morro. O Centro será o próximo bairro. “Nossa intenção não é multar, e sim de notificar e ajudar. Porque esse é o objetivo da Defesa Civil, de chegar primeiro do que o acidente. Uma vez que você identifica a queda de uma pastilha de uma fachada, é um sinal de que outras pastilhas poderão cair também. Caindo em cima de uma pessoa, o incidente pode se fatal”, completa Scalzer.

Coordenador do órgão, Romildo Scalzer, afirma que as mudanças climáticas e a falta de manutenção nos prédios contribuem para que acidentes possam acontecer

Há quatro meses, parte da marquise de um prédio despencou e caiu em cima de três carros que estavam estacionados em frente ao edifício que fica no início da Praia do Morro.

Por sorte, ninguém passava pelo local é apenas os carros foram atingidos. O coordenador da Defesa Civil, Romildo Scalzer, esclarece que este tipo de incidência é grande preocupação. “Vemos que os prédios com mais de cinco anos precisam passar por manutenções anuais ou no no máximo de dois em dois anos. É que com o passar do tempo, as pastilhas e qualquer tipo de material que fica exposto ao sol e a chuva, vai ficando mais frágil, se deteriorando, e vindo a cair. Com o trabalho que começou a ser desenvolvido, queremos evitar tipos de acidentes como esses. Se fosse uma pessoa poderia ser fatal”, finaliza.

Deixe seu comentário

Comments are closed.