A polícia de Domingos Martins prendeu na manhã de hoje, Gutemberg Xavier Alves, acusado de esquartejar e colocar fogo na ex companheira, Franciane Moizes Pedro, em Miracema, no Rio de Janeiro. Segundo a polícia, Gutemberg obrigava a mulher, a comer fezes e assistir vídeos dele fazendo sexo com outras mulheres. Ele é soropositivo.

Segundo a polícia, Gutemberg obrigada a mulher, a comer fezes e assistir vídeos dele fazendo sexo com outras mulheres. Ele é soropositivo.

Gutemberg estava foragido e tinha sido visto no Espírito Santo em fevereiro. Segundo informações de familiares, Gutemberg teria vendido seu carro em Guarapari, no valor de R$ 30 mil, e era com esse dinheiro que ele estava vivendo.

“Ele fez um exame médico no Espírito Santo e também vendeu o carro por R$ 30 mil antes do corpo da Franciane ser encontrado e estaria sobrevivendo com esse dinheiro, disse o delegado Gésner César Bruno, da 137ª DP de Miracema, à imprensa.

A ex companheira desapareceu no dia 13 de setembro do ano passado, e a queixa do sumiço foi feita no começo de outubro. Já no dia 22 daquele mês, a Polícia Civil escavou o quintal da casa onde a vítima morava, no Rio de Janeiro, e encontrou um pano sujo de sangue, com mau cheiro.

As investigações apontaram que o corpo chegou a ser enterrado lá. Dias depois, a polícia encontrou ossadas enterradas em uma área rural, na divisa da cidade de Palma, em Minas Gerais, e Miracema. Além de esquartejada, Franciane teve o corpo incendiado.

O delegado afirma que, segundo relatos colhidos pela polícia, Gutemberg, que é soropositivo, se filmava fazendo sexo com outras mulheres e obrigava Franciane a assistir. Antes de morrer, a mulher também chegou a contar aos amigos que foi até obrigada a comer fezes e viveu sob constantes ameaças. A vítima também tinha contado para parentes que o homem chegou a obrigá-la a fazer uma tatuagem, escrita: “Gutemberg, eu te amo”.

Gutemberg foi indiciado pelo feminicídio e pode pegar até 30 anos de prisão.