Na tarde desta sexta-feira (17) os feirantes da feira livre do Centro que pretendiam montar suas barracas antes das 19h, como determina o Decreto Nº 552/2017, foram impedidos pela Polícia Militar e fiscais do município.

Os feirantes pretendiam montar suas barracas às 17h desta sexta-feira (17), mas foram impedidos pela Polícia Militar e fiscais do município. Foto: Rafaela Patrício

Segundo o feirante e membro da comissão dos feirantes que trabalhavam na sexta-feira, Luciano Vieira dos Santos eles decidiram voltar a montar antes do horário estabelecido porque não foram ouvidos. “O acordo foi feito entre o prefeito e os produtores rurais de Guarapari. O acordo que fizemos no dia da reivindicação foi que o prefeito iria receber os produtores rurais primeiro e depois nós manifestantes que trabalhamos na sexta-feira só que o prefeito só recebeu os produtores. Ele nos garantiu que iria nos receber e não nos recebeu então devido a esse descumprimento da palavra deles a gente voltou a montar na sexta-feira às 17h e vamos fazer uma reivindicação até chegarmos um acordo”.

Luciano afirmou que o grupo de feirantes formado por agricultores de outros municípios é formado por 80 pessoas. “Fica mais fácil montarmos nossa mercadoria na sexta. No sábado tem aquele trânsito infernal e não tem como todo mundo chegar ao mesmo tempo para trabalhar porque agora que isso aqui se tornou uma via principal se todo mundo chegar ao mesmo tempo, vira um caos. Então a gente quer montar na sexta-feira que é uma tradição que mantemos a mais de 12 anos. Não estamos proibindo ninguém de vir trabalhar então se os agricultores quiserem vir na sexta, podem vir porque o espaço está aberto para todos”.

Ele também relatou que os feirantes já haviam montado as barracas às 17h na semana passada e que pretende fazer uma nova manifestação. “Semana passada fizemos um manifesto e montamos e na semana que vem vamos fazer outro manifesto. Vamos parar o trânsito e fazer um manifesto pacífico porque não queremos prejudicar ninguém. Só estamos lutando pelo nosso direito de trabalhar”.

Luciano afirmou que havia a promessa de um encontro dos feirantes com o prefeito, mas ela não foi cumprida. Foto: Rafaela Patrício

O secretário adjunto do Agronegócio Pedro Inácio Wandekoken também estava no local para impedir que os feirantes desrespeitassem o decreto. “O decreto deve ser cumprido e determina que os feirantes podem montar a partir das 19h, mas não pode vender na sexta-feira só podem no sábado a partir da madrugada”.

“De modo geral eles não são agricultores ou são agricultores de outros municípios. Eles vêm com mercadorias das propriedades deles e, principalmente da Ceasa para revender aqui. Então se eles venderem hoje à noite, isso dificulta o produtor de Guarapari que é feirante e só venha amanhã de madrugada porque ele acaba prejudicado nas vendas. Quando o decreto passou a ser cumprido o produtor e feirante de Guarapari sentiu uma boa melhora nas vendas dele. A prioridade é atingirmos o nosso foco principal que é o feirante de Guarapari, que deixa o dinheiro no nosso município. Não queremos menosprezar o feirante que vem de fora porque também precisamos dele, mas queremos que ele cumpra o decreto”, afirmou o secretário adjunto.

Wandekoken também explicou porque os feirantes dos outros municípios não foram ouvidos pelo prefeito. “Ouve uma reunião sim. Eles estiveram na Secretaria quando a nova secretária tinha apenas assumido e eles ficaram de preparar um documento para levar até o prefeito, mas não prepararam esse documento ainda e por isso, essa reunião não foi convocada”.

Deixe seu comentário

Comments are closed.