Um incêndio que começou por volta das 9h30 de hoje (17) deixou pelo menos três carros destruídos na garagem de um edifício localizado na Av. Beira Mar, da Praia do Morro, em Guarapari.

20150117_103923
A fumaça deixou os moradores despesados. O medo era que o prédio desabasse. Fotos: Roberta Bourguignon/ Portal27
20150117_104215
Quase 10 bombeiros foram mobilizados para o combate.

As primeiras informações são de que um visitante teria estacionado o carro na garagem do subsolo. Segundo o síndico, se trata de um veículo Fiat Uno antigo. O carro começou a pegar fogo, e o proprietário do veículo fugiu. “O carro que começou a pegar fogo é de um visitante que chegou hoje cedo no prédio. O carro começou a pegar fogo, e ao perceber o incêndio, o proprietário fugiu do local sem prestar assistência”, dispara o síndico Emar das Dores.

De acordo com o Cabo Wesley, do Corpo de Bombeiros, o incêndio começou em apenas um carro, mas o fogo acabou passando para outros veículos estacionados na garagem. Devido à falta de visibilidade, não foi possível saber ao certo quantos carros foram incendiados. Mas o bombeiro garante que pelo menos três carros já estariam queimados.

O incêndio deixou os moradores do Edifício Renan Guion, desesperados. Duas senhoras que estavam no último andar, foram orientadas pelo bombeiro através de contato via celular. O Cabo Wesley dizia a elas que o prédio não corria o risco de desabar e que o fogo já havia sido controlado.

IMG-20150117-WA0006
O incêndio chamou a atenção de muitas pessoas.
20150117_110752
As chamas foram contidas por volta das 11hs.

A avenida que dá acesso ao prédio precisou ser interditada pela Polícia Militar. Foi preciso de quase 10 mil litros de água para conter as chamas. Segundo os bombeiros, a fumaça preta que saia da garagem era derivada da borracha dos pneus dos veículos incendiados.

Ainda revoltado com a situação, o síndico explica que a irresponsabilidade foi do visitante que chegou e deixou o carro na garagem, causando o incidente.

A nossa equipe de reportagem tentou localizar o proprietário do veículo que supostamente tenha sido o causador do incêndio. Mas a pessoa não foi encontrada.