A Policia Federal pediu ao Ministério Público Federal que o prefeito de São Mateus, Daniel Santana, seja afastado do cargo. Daniel foi preso na última terça-feira (28) por fraude em licitações, junto de mais quatro empresários e dois funcionários da prefeitura. A Procuradoria Regional da República deverá analisar o pedido.

O superintendente da Polícia Federal no Espírito Santo, Eugênio Ricas, afirma que a PF solicitou afastamento de cargo e que a prisão temporária, que seria até este domingo (03), seja prorrogada por mais cinco dias.

“O Ministério Público deve reitarar hoje (sexta) e a gente acredita que até o fim do dia já teremos a decisão do desembargador. As provas corroboram com o que já tinha sido investigado e há necessidade de se aprofundar em mais alguns pontos. Então é importante que essas prisões sejam mantidas. A Polícia Federal também pediu afastamento do prefeito. Isso é imprecindível para poupar os recursos públicos de São Mateus”, disse.

O crime. A Polícia Federal afirma que foram obtidas provas que indicam que o prefeito organizou um modelo criminoso desde seu primeiro mandato. Daniel estruturou, dentro da administração municipal, um esquema para cometer vários crimes, como o direcionamento fraudulento de licitações.

O valor dos contratos celebrados pelo município com as empresas investigadas chega ao valor de R$ 43.542.007,20.

O prefeito. Daniel tem 57 anos e foi eleito prefeito de São Mateus, pela primeira vez, em 2016. Chegou a ter seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo, por abuso do poder econômico em função da distribuição de água potável na cidade durante o período eleitoral.

Em 2019, a inelegibilidade de Daniel foi revertida e ele foi absolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 2020, Daniel foi reeleito como prefeito da cidade.