“Minha rua foi asfaltada e virou uma pista de corrida”. Essa é a reclamação de um morador do bairro Santa Margarida, segundo ele, as motos e carros transitam em altíssima velocidade e até o cãozinho de estimação de sua família foi morto na última semana.

“Minha rua virou uma pista de corrida…”

Segundo William Marques Rocha, os moradores da rua Barão do Rio Branco, do bairro Santa Margarida, perderam a paz desde que a rua foi asfaltada. “Minha rua está muito perigosa, a gente passeava com nossos filhos, brincava de bola, agora nem pensar. Essa semana um motoqueiro matou nossa cachorrinha, minha família”, desabafa.

De acordo com o morador, a situação já fugiu do controle, e ele solicita providências. “Nossa rua era bem sossegada, o povo dos prédios também gostava de caminhar nela, Mas com esses veículos em alta velocidade está bem perigoso. Gostaria que nossos governantes tomassem uma providência, instalassem dois ou três quebra-molas próximo ao Condomínio Solar das Acácias”, finaliza William.

O Portal 27 entrou em contato com a Prefeitura Municipal para ver se a solicitação poderia ser atendida e recebeu a seguinte resposta.

“Cabe aos condutores obedecer os limites de velocidade nas vias urbanas, definidos no Código de Trânsito Brasileiro, em seu Art. 61.
 
Art. 61. A velocidade máxima permitida para a via será indicada por meio de sinalização, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito.
 
        § 1º Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de:
        I – nas vias urbanas:
        a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido:
        b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais;
        c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;
        d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais;
 
No que diz respeito aos quebra-molas, o art. 94 do Código de Trânsito Brasileiro e proíbe a utilização de tachas, tachões e dispositivos similares implantados transversalmente à via pública. Há ressalvas de acordo com a resolução Contran Nº 600/2016 nos casos em que estudo técnico de engenharia de tráfego demonstre índice significativo ou risco potencial de acidentes cujo fator determinante é o excesso de velocidade praticado no local e onde outras alternativas de engenharia de tráfego não forem ineficazes.
 
Assim, a Secretaria de Postura e Trânsito (Septran) pede que os moradores formalizem o requerimento solicitando a limitação de velocidade no local, para que o pedido seja avaliado dentro do que determina a legislação e com base no registro de acidentes do local”.
Deixe seu comentário

Comments are closed.