“A participação no prêmio foi um marco na minha carreira como professor”. É o que afirma Rubens Monteiro, que ficou com o 2º lugar no prêmio de Educação Científica na categoria Ensino Médio. Outra ganhadora foi a professora Lucila Noroa, que conquistou o 3º lugar.

A final do prêmio Shell ocorreu na noite de quarta-feira, no auditório da Rede Gazeta, em Vitória.  Rubens que é professor de Matemática da Escola Estadual Angélica Paixão recebeu um prêmio de R$ 5 mil em cartão bônus e Lucila Noroa, professora de Química da Escola Estadual Dr. Silva Melo recebeu um prêmio de R$ 3 mil.

Os dois professores ainda ganharam para suas respectivas escolas um Datashow, um notebook, um conjunto de caixa de som e uma placa parabenizando o envolvimento da escola no projeto.

Professor Rubens recebe Prêmio Shell de Educação

Rubens, que se inscreveu com o Parabolando, conta que a noite foi inesquecível. “O evento de ontem à noite foi incrível, desde a organização até mesmo como nós fomos tratados até chegarmos lá, toda preocupação com os detalhes, um evento muito emocionante é muito bom ver assim uma empresa privada de fora da área de educação tendo esse olhar para ciência, para a educação científica e com foco no professor”.

O professor de Matemática destaca a importância de ter um trabalho feito por ele reconhecido e avaliado por jurados de renome nacional. “Ter um trabalho seu sendo avaliado por pessoas de calibre como Mozart Neves, que até pouco tempo estava sendo especulado para ser Ministro da Educação, pelo César Callegari, Maristela Sarmento, pelo Rafael Vassallo Neto, que é avaliador da parte de matemática. Essas trocas de informações, essa experiência na verdade é o verdadeiro prêmio, isso nos enriquece, é isso que muda a nossa prática como professor”.

Rubens e sua família na entrega do Prêmio Shell de Educação

“Depois da entrega dos prêmios o César Callegari falou assim “olha Rubens, gostei muito da poesia do seu trabalho”. Como professor de matemática não estou acostumado a ouvir muito esse tipo de elogio, na área de exatas não é comum receber”.

O professor que quer concorrer novamente ao prêmio Shell lamenta ter que esperar três anos para uma nova inscrição. “Saí de lá com aquele sentimento: eu quero estar aqui de novo, eu quero participar. É uma pena que pelo regulamento eu só posso participar agora do prêmio Shell daqui a três anos, mas a vontade era assim já começar a pensar em alguma coisa, porque é emocionante demais, ontem foi inesquecível estar perto de pessoas tão queridas, também dividir essa alegria com família, com amigos, com a escola”, completa.

Professora Lucila recebe Prêmio Shell de Educação

Lucila, responsável pelo projeto Quimicozinha destaca a importância da conquista do prêmio. “No evento foi dito para nós que no Espírito Santo foram 107 projetos inscritos, 6 escolhidos e dos 6, 3 do ensino prédio do qual nós ficamos finalistas. É algo maravilhoso poder participar, porque isso não só nos motiva mas, também nos valoriza como professor e também nos incentiva”.

Quando perguntamos sobre uma nova participação, a professora destaca que tem em mente dois projetos diferentes para a 1ª série e para a 3ª série do Ensino Médio e pretende desenvolvê-los para voltar a se inscrever, assim que possível.

Deixe seu comentário