Ainda que os Jogos de Verão de Munique (1936) tivessem relevância política substancial por serem o primeiro grande evento no pais após o fim do Terceiro Reich e pelo Setembro Negro, no mesmo país, durante as Olimpíadas (1972), quando 11 integrantes da equipe olímpica de Israel foram mortos por palestinos, o evento no Brasil, sem sombra de dúvidas foi uma das Olimpíadas mais problematizadas da história dos jogos.

Adivinha quem adora problematizar e relativizar tudo? Sim senhores, a esquerda com os seus soldadinhos, vulgo, Justiceiros Sociais. Trazendo até as últimas conseqüências, subvertem qualquer coisa pra reduzir o produto final ao coletivismo barato…mas isso não é mais novidade e nem comove ou demove ninguém, não é?!

rio-2016-2-2 (1) Coisas dessa natureza, acabam por tomar o lugar do que realmente tem relevância no evento, que seria, pasmem, o esporte. As Olimpíadas , são, por fria definição, os eventos mais politicamente incorretos que possam existir e por isso são tão apaixonantes.

Explico:
O conceito olímpico é uma alusão às batalhas entre os povos antigos e aos métodos de sobrevivência de um ser humano inserido em um contexto também de sobrevivência.
Nadar, correr, saltar, atirar e os outros eteceteras envolvidos, só podem premiar o mérito e por conseqüência, aos melhores em cada segmento, fazendo os esquerdosos terem câimbras medulares.

Só existe lugar para o mais forte, mais rápido, mais ágil, enfim, para os melhores. Notou alguma semelhança entre essa simulação e a vida real? Sim, eu também, mas asseguro que existe uma minoria que não enxerga assim e são justamente esses os que se contorcem nesse embate com o mundo real.

joannam Olá Joana Maranhão, já pode parar de chorar as pitangas, viu?! Pensemos por exemplo na comparação absurda entre o Neymar e a Marta.  Já adianto que a única coisa que conseguiram foi inflamar os ânimos de quem sempre nutriu simpatia pelo talento da jogadora, transformando-a em um bode expiatório das “causas sociais”.

Que tipo de imbecil pode supor uma comparação dessa natureza entre o futebol masculino e aquele esporte praticado pelas mulheres, sob o mesmo nome, embora possuindo a simbologia completamente deslocada da realidade?

By the way, finalmente conquistamos o sonhado ouro olímpico no futebol…ufa! Segundo a Tabela de Regulamentação da Torcida definida pela “Inteligetncia Esquerdista”, temos:

Neymar Jr

Cor Parda (+10)
Homem (-5)
Infância Pobre (+10)
Heterossexual (-15)
Tem filho, mas não casou (+5)
Cristão (-5)
Apoiou o Aécio (-20)
Veste Camisa com Escudo da CBF (-5)
Não prestou continência no pódio (+5)
Ganha mais que a Marta (-20)
Comemorou com faixa escrito 100% Jesus (-100)
Total: -140

Desta forma, sinto muito, mas não podemos comemorar este ouro. Prestarei continência com as duas mãos em agradecimento, para desespero da militância contrária.

Ditadura do Mimimismo e eleições.  “Sou pobre, sou daqui , dali, de acolá, sou negro, sou LGBTRFDESWXCGYIUJx, sou deficiente físico, sou qualquer coisa que cause comoção e que seja passível da famosa Carteirada de Coitadinho” Tudo isso é inútil, quando o que seria importante, deveria Ser Com-pe-ten-te. neymar_brasil_reu

Ser competente é o requisito principal e não adianta transformarem mais esse simbolismo lingüístico em uma mera alegoria.  A esquerda é insossa e perdida.  São esses seres que querem pautar como você se comporta em uma situação de necessidade onde, de acordo com o julgamento deles, você se tornará um criminoso, tendo a premissa da “necessidade” a seu favor.

São esses que se dizem preocupados com a melhora coletiva, mas em vez de subir a linha da pobreza, preferem mantê-la intacta e simplesmente se satisfazem puxando o topo da pirâmide para baixo. Ou seja, pobres sempre pobres e ricos cada vez mais pobres também.

É a socialização da pobreza pra dizer que se estabeleceu a igualdade…ainda que na miséria. Dividem a miséria em partes iguais. Isso é o Comunismo ou Socialismo, como você prefira chamar, pois são a mesma coisa. Socialistas do dinheiro alheio.

Adivinha pra onde, historicamente, essa evasão de riquezas invariavelmente vai? Para as mãos dos “bonzinhos” que te levaram na lábia da coletividade. O pensamento dito de esquerda é uma patologia. No livro The Liberal Mind: The Psychological Causes of Political Madness, de Lyle Rossiter, lançado em 2011, tudo isso é claramente elucidado.

16231560 Não vou me alongar no tema e prometo tratar sobre isso em outras colunas.  Até lá, recomendo a leitura. “Renovar e eleger o novo é a única maneira de mudar a política”. Não, não é mesmo!  A maneira correta de mudar a política é eleger o certo, não o novo.

Márcio Yguer
Márcio Yguer é músico, produtor musical e filósofo. Twitter – @marcioyguer Facebook – Márcio Yguer

Isso é um reducionismo barato e apenas um reflexo progresista idiota, que nos impuseram, para que sempre nos baseássemos na cota de tolerância inerente à todo ser humano. Se a sua paciência já esgotou, nada mais adequado que trocar o alvo da impaciência, conferindo assim um mero deslocamento do problema, de forma momentânea, fugaz. O que devemos mudar são os critérios dessa escolha.

Essa obstinação por criar esse “homem novo” é um traço presente nos maiores monstros da história da humanidade. Para não poluir demais esse espaço, cito Hitler, Mao Tsé, Pol Pot, Mussolini, Marx…todos eles queriam simplesmente jogar a humanidade numa lata de lixo e recomeçar do zero, julgando ser essa a solução suficiente e iminente pra resolvermos todos os problemas do mundo.

Conservar o que é bom e resolver os problemas, aceitando que enquanto seres humanos, somos passíveis de falha, é o pensamento correto.

Comments are closed.