Na manhã desta segunda-feira (09), o atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Guarapari foi interrompido por falta d’água. De acordo com um agente penitenciário, que prefere não ser identificado, o local paralisou seus atendimentos de 6h da manhã até 11h30.

“Cheguei cedo com minha esposa que passava mal e eles disseram que não estavam realizando atendimentos por causa da falta d’água, disseram que os médicos não tinham como se higienizar para as consultas. Fui embora e ela continuou passando mal, retornei as 11h e situação já estava se normalizando, pediram um caminhão pipa enquanto a Cesan mexia nos canos”, disse.

Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari (UPA)foto:: João Thomazelli/Portal 27

Ele fala que o problema gerou uma grande espera na unidade. “Até agora ainda tem bastante fila aqui dentro. Muitas pessoas ficaram aguardando aqui para serem atendidas. Disseram que uma pessoa chegou em estado de emergência e também não pode ser atendida”, comenta.

Para o agente serviços de urgência e emergência não poderiam passar por essa situação. “É um absurdo uma coisa dessas acontecer com serviços de urgência e emergência. A Cesan não teve nenhum comprometimento com a saúde da cidade”, ressalta.

O Portal 27 procurou a prefeitura que explicou a situação através de nota “A Secretaria Municipal de Saúde informa que houve um problema no abastecimento por parte da Cesan. Quando identificada a falta d’água, a equipe da UPA fez contato com a empresa solicitado caminhão pipa. Foram priorizados os atendimentos de urgência e felizmente a unidade não ficou tempo suficiente sem água a ponto de prejudicar esses atendimentos.”

A Cesan, através de nota, fala que problemas em serviços de emergência são priorizados. “O problema foi resolvido ainda na manhã desta segunda-feira. Um carro pipa foi enviado ao local assim que a Cesan foi informada da situação.Casos envolvendo serviços de urgência e emergência são prioridade, e a situação foi tratada como tal“, afirma a Companhia.

Deixe seu comentário

Comments are closed.