Com 695 novas vagas de emprego, a indústria liderou a geração de postos de trabalho no Espírito Santo durante o mês de julho. O resultado é superior ao de serviços (515 vagas) e comércio (364 vagas).
 
A agropecuária foi a única a registrar saldo negativo no período, com –2.278 vagas, o que pode ser explicado pelo fim da safra de café. Em números gerais, 26.693 empregados foram admitidos e 27.334 funcionários foram desligados no estado, o que resulta em um saldo negativo de –641 postos formais de trabalho.
O resultado é superior ao de serviços (515 vagas) e comércio (364 vagas).

Este é segundo melhor resultado para o mês de julho nos últimos cinco anos, ficando atrás apenas de 2014 quando, no mesmo período, foi registrada uma baixa de 427 postos formais.

No acumulado de janeiro a julho, o Espírito Santo se mantém como o nono estado a gerar mais empregos no Brasil, com saldo de 13.071 vagas de emprego formal.

Setores da Indústria

O resultado positivo de julho do setor industrial foi impulsionado pelos segmentos de Construção Civil (358) e Indústria de Transformação (337), com destaque para geração de 259 postos formais no subsetor de 

Fabricação de Alimentos. Nos sete primeiros meses do ano, o setor produtivo acumula a geração de 5.322 novos postos de trabalho formais no Espírito Santo. Sendo 3.217 postos na indústria de transformação, 2.049 empregos celetistas na construção civil e 56 vagas na indústria extrativa.

Confira a pesquisa completa no site do Ideies.

Comments are closed.