Casal
O casal foi morto em abril deste ano. Foto: arquivo pessoal.

Já estão soltos os acusados de participação na morte do casal Lorrayne Santiago,16, e Fábio Santos Kil, 21 (reveja o caso aqui), que foram mortos nas Três Praias em Guarapari, no mês de Abril.

Os três suspeitos, Valbert Ramos Pires, 20, Carlos Henrique Vicente Macedo, 25, conhecido como “Tim Maia” e Mateus Montenegro Jesus, de 19 anos, foram presos em maio deste ano, após 36 dias de investigação da polícia civil e tiveram a prisão revogada pela justiça no dia 10 de outubro.

O juiz, Eliezer Mattos Scherrer Junior, determinou a soltura deles, afirmando que “Diante do exposto, e ainda, visto que os denunciados supramencionados não pretenderam se esquivar da acusação que lhes eram impostas, entendo que não há elementos, pelo menos nesta fase processual, que justifique a manutenção da prisão preventiva, visto que não há indícios de que os réus soltos irão prejudicar a instrução criminal ou obstacular a aplicar da lei penal ou afetar a garantia da ordem pública, em relevo às considerações apresentadas pela Defesa Técnica, REVOGO a prisão preventiva”, diz o juiz em seu despacho.

Valbert e Tim Maia negaram qualquer participação no crime.
Valbert Ramos Pires e Carlos Henrique estão soltos. Foto: arquivo pessoal.

Cautelares. Mesmo revogando a prisão, o juiz decidiu por medidas cautelares para os acusados. As medidas são as seguintes:

O comparecimento mensal em juízo para informar e justificar atividades (CPP, art. 319, inc. I); 

– Proibição a bares, casa de jogos, boates e similares (inc. II); 

– Proibição de manter qualquer contato com as testemunhas (inc. III); – Recolhimento domiciliar entre 21:00h e 06:00h (inc. V).

mateus2
Mateus Montenegro Jesus também está em liberdade. Foto PC.

Família. Nossa equipe conseguiu falar com Leocir Kill, pai de Fábio, que se disse indignado com a informação da soltura dos acusados. “Eu recebo essa notícia com muita indignação, com muita tristeza. A gente confia tanto na justiça e recebe essa informação. É muita tristeza”, disse ele.

Ainda de acordo com Leocir, desde a morte de Fábio, a família está passando por momentos de profunda tristeza. “Eu estou com depressão. Minha esposa e meu outro filho tem chorado constantemente. Não tem paz, não tem alegria. Seu eu não fosse Cristão, não sei o que teria feito comigo mesmo. É uma tristeza sem fim”, desabafa. Leocir espera que a justiça seja feita e que os culpados, sejam identificados e julgados.

Policia. Procurado por nossa reportagem para comentar o caso, o delegado responsável pela investigação, Alexandre Linconl, afirmou que decisão judicial não se pode comentar. “A decisão do juiz é soberana. Não nos cabe comentar. Depois que concluímos o inquérito ele foi para a justiça, ficando nas mãos dos juízes e promotores. Para essa liberdade dos acusados, deve ter havido algum fato novo, do qual eu não tenho conhecimento”, disse o delegado.

O titular disse que uma das maiores dificuldades encontradas para desvendar esse crime, foi que todos os envolvidos negaram qualquer participação do duplo homicídio.
Delegado responsável pela investigação, Alexandre Linconl, afirmou que decisão judicial não se pode comentar.

O delegado afirma, porém, que a investigação da polícia foi feita através de muitos embasamentos para concluir o inquérito. “O Crime existiu. Do ponto de vista da investigação policial, há elementos baseados em testemunhas e depoimentos, que mostram que eles são os autores do crime”, explicou o delegado.

Defesa. O portal 27 conseguiu falar com o advogado dos acusados, Marcus Bitencourt, que nos informou que os seus clientes são inocentes e que vai conseguir provar isso.  De acordo com ele, a investigação deveria ter sido feita com mais tempo. “Entendemos que houve algumas falhas na investigação. Não houve, por exemplo, a quebra de sigilo telefônico. Tanto dos acusados, como das vítimas e dos familiares. Quem pediu a quebra do sigilo fui eu”, disse ele. O advogado acredita que a polícia se apressou em concluir o inquérito. “No anseio de dar um retorno à sociedade, a polícia pecou” disse.

Fábio sonhava em ser Pastor.
Fábio Kil tinha apenas 21 anos. Foto Vinícius Rangel.

Ele afirma também que muitas testemunhas de defesa, mesmo se apresentando para depor, não foram ouvidas. Após provar a inocência dos clientes e ao final do processo, ele pretende pedir indenização. “Vamos pedir uma indenização ao Estado. Um dos meus clientes quase foi morto na prisão”, afirmou.

Para finalizar, o advogado afirma que o laudo da balística da policia civil, de uma arma que seria de Matheus, não bateu. “A arma apreendida como sendo a do crime foi um 38. Esse laudo comprova que os tiros que mataram o casal saíram de um 22”, disse.

O advogado disse que um quarto acusado, identificado como Allan Dos Santos Sana, que está desaparecido desde o crime, vai se entregar na semana que vem. “Acredito que até a quarta feira ele vá se entregar. Se eu fosse o advogado dele antes, ele já teria se entregado”, disse.  Allan já teve o mandado de prisão expedido pelo juiz.  “Vamos pedir também o pedido de soltura dele”, finaliza.