Uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar, realizada por volta das 6h30 desta terça-feira (21), levou seis pessoas para a cadeia, em Guarapari.

Esta é a terceira operação  concretizada pela PC e PM e dessa vez o objetivo era cumprir nove mandados de busca e apreensão.  Um deles era no bairro Monte Aghá, em Piúma, onde o vendedor Cláudio da Silva Moraes, de 46 anos, e sua esposa foram detidos.  

Drogas, dinheiro, material para embalar e celular encontrado pela polícia com os detidos na Rua da Carroça, no Ipiranga.

Segundo a polícia, com o casal foi encontrada apenas uma balança de precisão. A chefe da 5ª Delegacia Regional de Guarapari, delegada Maria da Glória Pessotti explicou que apenas Cláudio continuou preso. “A esposa foi liberada, mas ele foi autuado por tráfico. Apesar de termos encontrado somente a balança, a gente já vinha investigando e ele está realmente envolvido no tráfico de drogas e, inclusive, fornece drogas para Guarapari”.  

Já em Guarapari quatro pessoas foram detidas, entre elas dois menores. Um adolescente de 17 anos, foi apreendido com uma bucha de maconha, no Centro. Ele foi ouvido, capitulado por uso e liberado.

Mas o segundo menor, de 16 anos, não teve a mesma sorte. Ele foi apreendido na Rua da Carroça, no Ipiranga, onde estava com a dona de casa Andréia Ferreira Cunha, de 37 anos, e o filho dela, Breno Cunha dos Santos, de 18 anos. Com os três foram localizadas 48 buchas de maconha e 52 pedras de crack, material para embalar, duas toucas ninjas, um aparelho celular e R$ 60,00. 

Autuações. De acordo com a delegada, Cláudio, Andréia e Breno serão autuados por tráfico de drogas e o menor será apresentado em juízo. “Vou analisar, mas quase todos também serão autuados por associação ao tráfico porque sempre tem duas ou três pessoas, no mínio, em cada grupo de traficantes nessa operação. Tem também os casos que vamos avaliar que são os fornecedores porque aí a pena é maior ainda”.

Ainda de acordo com Maria da Glória, outras operações devem acontecer. “A uma previsão de novas operações em combate ao tráfico. A ideia é tirar esse pessoal da rota e preparar a cidade para o verão, que é quando a gente tem muito problema. Nessa época é mais comum aqui os crimes contra o patrimônio, roubo e furto, mas o tráfico de drogas também é intenso”.