Na tarde desta quinta-feira (21) a Polícia Civil divulgou o nome dos presos na Operação Maré Alta, que foi realizada em conjunto pelas polícias Civil e Militar para cumprimento de mandado, nesta terça-feira (19). Ao todo 30 mandados foram cumpridos, sendo que deste total 13 pessoas foram presas e 16 já estavam presos por outros crimes.

As 13 pessoas presas, entre elas quatro mulheres, foram transferidas para o Centro de Detenção provisória. Foto: Rafaela Patrício

O delegado da Delegacia de Crimes Contra (DCCV), Tarik Souk explicou que a investigação durou seis meses e que o objetivo da operação era prender traficantes de drogas, armas e homicidas para garantir a segurança dos moradores e turistas da cidade.

Os nomes divulgados são:  Alan Pereira do Nascimento, Eduardo Lopes Sartório, Ramon Cceco de Loreto, Douglas Ucceli Oliveira, Robson Costa Dias, Walace Matos dos Reis, Adilson Vicente da Silva Júnior, Maria Cristina, Wesley Pereira, Lays Almeida, Nair Almeida, Bruno Vieira, Wesley Araújo, Júlio Correa de Lana, Lucas José de Oliveira, Alexandro Viana Costa, Sanderson Leal Scher, Allan Almeia Matos, Bruno Cunha Silva, Leonardo Alves Henrique, Tcharllis Michael Santos Lopes, Pablo Miranda,  Breno Cunha dos Santos, Samuel Mendes Silva, Dionízio Vieira, Gabriel de Souza, Andréia Ferreira Cunha, José Carlos Ferreira,José Carlos Lorete Ferreira e Cláudio da Silva Moraes.

Segundo Tarik, mais de 50 quilos de drogas variadas; 12 armas, sendo algumas metralhadoras; mais de R$ 20 mil proveniente da venda de drogas e diversos veículos utilizados no tráfico foram apreendidos. Ainda de acordo com o delegado, quatro mulheres foram presas na operação e com uma delas foram encontrados 45 quilos de drogas.

Segundo o delegado, ao todo a operação apreendeu mais de 50 quilos de droga variadas. Na imagem parte dos entorpecentes apreendidos. Foto: Rafaela Patrício

Ele afirmou que durante as investigações foram descobertos grupos criminosos de diversos bairros, principalmente, Kubitschek e Ipiranga. “Durante o estudo rigoroso da vida desses indivíduos verificamos que são cinco grupos criminosos que se interligam seja pela rivalidade ou pelo fato de comprarem drogas e armas dos mesmos fornecedores”.

Apesar do grande número de pessoas detidas, o delegado garantiu que novas prisões devem acontecer em breve. “A operação não foi encerrada. A investigação continua e outras pessoas ainda serão presas”, disse Tarik.

De acordo com o delegado, além de serem atuados por tráfico de drogas, cuja a pena é de até 15 anos de detenção, alguns dos presos também vão responder por homicídio, cuja pena é de até 30 anos. Eles também foram autuados por associação criminosa e por isso, eles podem pegar até mais oito anos de prisão.

 

 

Deixe seu comentário