A Vacinação contra o HPV teve início nesta segunda-feira (10). A abertura da ação aqui no Espírito Santo foi realizada na Escola Municipal Jocarly Gomes Sales, em Cariacica, onde foram imunizadas as primeiras, do total de 91,8 mil meninas de 11 a 13 anos, que deverão ser contempladas até o dia 10 de abril, data de encerramento.

A ação terá impacto na redução de lesões em ambos os sexos
A ação terá impacto na redução de lesões em ambos os sexos. FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA SESA

A dose protege contra diversos tipos de lesões e cânceres causados pelo vírus, principalmente o de colo de útero, destacou o secretário de Estado da Saúde, José Tadeu Marino, durante a abertura. “Sabemos que o HPV é o causador de 70% de câncer do colo de útero nas mulheres e essa vacinação em massa em todas as adolescentes é extremamente importante para diminuir a incidência desse problema nas mulheres”, disse.

De acordo com o secretário, o objetivo é vacinar pelo menos 80% dessas meninas. “Temos que trabalhar na lógica de prevenção à saúde e principalmente na lógica de prevenção de uma doença que é a terceira causa de morte das mulheres do Brasil. Nada mais justo que a saúde pública cuidar das meninas de hoje e das mulheres de amanhã”, concluiu.

A coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Danielle Grillo, explica que o HPV pode acometer tanto mulheres quanto homens, contribuindo para o surgimento de câncer de vagina, ânus, vulva, pênis, além de causar verrugas genitais.

A vacinação das adolescentes antes do início da vida sexual tem melhor resposta na proteção e ajuda a quebrar a cadeia de transmissão, já que aproximadamente 95% dos casos da doença são transmitidos por esse meio. Portanto, a ação terá impacto na redução de lesões em ambos os sexos.

Seguindo o que propôs o MS, a ação será feita preferencialmente em escolas (públicas e particulares) onde estudam meninas na faixa etária especificada como forma de melhor abranger o público-alvo. As unidades de saúde municipais terão um papel de retaguarda para quem, por algum motivo, não pôde receber a dose no colégio.

 

Ao todo, cada adolescente receberá três doses: a segunda deve ser aplicada seis meses depois da primeira e a terceira cinco anos após a dose inicial.
Ao todo, cada adolescente receberá três doses: a segunda deve ser aplicada seis meses depois da primeira e a terceira cinco anos após a dose inicial. FOTO: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA SESA

HPV

Existem mais de 150 tipos de HPV (papilomavírus humano). A vacina oferecida gratuitamente pelo SUS protegerá contra quatro tipos – dois deles são responsáveis por verrugas genitais e os outros dois relacionados ao aparecimento de aproximadamente 70% dos casos de câncer de colo de útero gerados pelo vírus.

Ao todo, cada adolescente receberá três doses: a segunda deve ser aplicada seis meses depois da primeira e a terceira cinco anos após a dose inicial. Em 2015, a faixa etária visada será a de 09 a 11 anos e, a partir de 2016, as pré-adolescentes com 09 anos passarão a ser beneficiadas.

Vale lembrar que a vacinação é uma ferramenta de prevenção, mas não substitui o rastreamento do câncer feito por meio do exame preventivo. Da mesma forma, a vacina não confere proteção contra outras doenças sexualmente transmissíveis e, por isso, é importante usar o preservativo.

Deixe seu comentário