Dois veículos se envolveram em acidente no cruzamento da Av. João Ribeiro da Costa com a Rua Santana do Iapó, em Muquiçaba, Guarapari, próximo ao açougue estrela. A colisão aconteceu na noite deste domingo (29), pela falta de sinalização no local.

IMG-20140629-WA0013
A caminhonete L200 capotou com a colisão. Foto: Gustavo Nascimento.

De acordo com Rafael Bourguignon de 25 anos, condutor do Golf preto, ele seguia pela Av. João Ribeiro da Costa, quando foi atingido pelo veículo que vinha da Rua Santana do Iapó. “Eu estava vindo da Avenida F bem devagar. E graças a Deus, que eu estava bem devagar, porque se estivesse 20km/h mais rápido, a caminhonete poderia ter atingido o vidro do carro e machucado a gente”, contou ele. Rafael estava acompanhado da noiva Ravena Lovatti, no momento do acidente.

IMG-20140629-WA0012  A caminhonete L200 capotou após a batida e o motorista Rodrigo Fávero de 37 anos, disse que atravessou o cruzamento direto. “Sem sinalização, nenhum dos dois parou no cruzamento”, explica ele. Rodrigo e Rafael foram submetidos a realizar o teste do bafômetro, comprovando que ambos não ingeriram bebida alcóolica.

Polêmica. Após a colisão, o motorista que conduzia a caminhonete fugiu, e o carona teria assumido a direção. De acordo com o morador do prédio, que existe no cruzamento, e assistiu toda a cena, quem conduzia a L200 era um senhor mais velho, não o Rodrigo. O morador ainda disse que, enquanto o carro estava tombado, o motorista saiu com sinais de embriaguez e fugiu.

IMG-20140629-WA0011
De acordo com o CTB, em cruzamentos não sinalizados, a preferência é de quem segue pela avenida. Foto: Gustavo Nascimento.

Embora não exista sinalização no cruzamento, o Código de Trânsito Brasileiro garante a preferência para quem trafega pela avenida. Conforme o Art. 29 preferência em cruzamentos: em cruzamentos não sinalizados, existem três regras de preferência: 1º) rodovia; 2º) rotatória; 3º) mão direita. Interessante verificar dois aspectos nesta norma: o primeiro é que as preferências mencionadas só são válidas nos cruzamentos sem sinalização, nada impedindo que o órgão de trânsito, se assim entender melhor, coloque, por exemplo, uma placa de “dê a preferência” ao condutor que circula em rotatória; o segundo aspecto é que muitas outras preferências não são decorrentes da lei, mas apenas de costume, como uma via mais larga, com faixa de ônibus, sem redutores de velocidade, em aclive;

Diante das informações, Rodrigo Fávero se comprometeu a consertar o carro de Rafael. As vítimas envolvidas no acidente não sofreram ferimentos.

Deixe seu comentário