JB Padrão
Banner TOP

Com a divulgação dos primeiros resultados da pesquisa desenvolvida por estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), sobre a radioatividade das areias pretas existentes em Guarapari, foi confirmado que a  Cidade Saúde, pode virar referência em turismo saudável.

Evento hoje apresentou os resultados dos benefícios da radioatividade das areias para as pessoas. Foto: Wilcler Carvalho/Portal27

É que a partir dos estudos, foram identificados 10 fatores naturais nas areias terapêuticas onde o contato com a areia melhora o bom humor, o bem-estar e reduz dores em curta estadia. A partir de 20 dias, se pode ter um processo terapêutico nas areias da Praia da Areia Preta, assim como em Meaípe, na Lagoa de Caraís ou da Coca Cola, no Parque Paulo Cézar Vinha e, na fonte do Jesuítas, no Centro.

Fabio Tadeu Lazzerini, explica que é preciso que os profissionais da área de saúde realizem ensaios terapêuticos no local.Foto: Wilcler Carvalho/Portal27

Para que isso seja concretizado, o doutor em Geologia Médica e vice-presidente da Organização Mundial de Termalismo (que estuda os recursos naturais) Fabio Tadeu Lazzerini, explica que é preciso que os profissionais da área de saúde realizem ensaios terapêuticos no local, trazendo pessoas do mundo inteiro para os experimentos.

“Na Europa, lugares que existem radioatividade, você faz pesquisa de ensaio clínicos para que os profissionais da área da saúde possam usar isso na população, principalmente em quem tem dores crônicas, problemas de estresse, reumáticos e respiratórios”, explica Lazzerini.

Segundo o físico nuclear e supervisor do projeto, Marcos Orlando, as praias da Areia Preta e Meaípe são monazíticas benéficas. “Meaípe tem índice de radiação quase igual a Areia Preta, que são biopositivos. Não são radiações perigosas, elas estimulam a defesa do organismo”, esclarece.

Câncer de mama. Marcos explicou que os benefícios que as areias monazíticas trazem para a saúde são inúmeros, e entre eles está a prevenção do câncer de mama. “Níveis de radiação baixos como este estimulam a defesa do organismo. Os dados do SUS indicam que o câncer de mama é menor aqui e isso foi reportado pela equipe de Brasília, que indicou isso em um trabalho e a gente deu continuidade e vimos que isso é fato. Os índices são os menores do Estado e do país. Isto porque muito provavelmente por causa da ação que tem na atmosfera dos gases que saem dessa radiação”.

Físico nuclear e supervisor do projeto, Marcos Orlando. Foto: Wilcler Carvalho/Portal27

De acordo com o pesquisador, ao contrário do que as pessoas acreditam, não é preciso se enterrar na areia para receber os benefícios da radiação. “É só respirar o ar que está orla marinha perto da radiação. Não há necessidade de se enterrar. Talvez outros tratamentos possam precisar disso por outras características radioativas, mas para o benefício do estímulo não. É só andar”, disse.

E completa. “É uma cidade única. Não existe nada similar. A história geológica é que proporcionou isso. Ao longo dos milhões e milhões de ano tinha uma crosta aqui de material radioativo que se decompôs e colocou exatamente aqui. Isso é raro porque é um tipo de radiação de baixo nível e longa duração, ou seja, para cair metade da radiação demora 293 anos”, explica Marcos.

Ele afirmou que a UFES já patenteou a ideia para a criação de um produto em que as pessoas possam realizar o tratamento biológico em casa. “A gente processa a areia de maneira a ficar em uma situação não de areia, mas de placa e tornamos isso viável para a pessoa levar”.

Torre. O pesquisador disse ainda que para dar continuidade ao estudo é necessário instalar uma torre vinda do Polo Sul para monitorar a radioatividade, a temperatura do mar e a posição do vento. Em Vila Velha a instalação já foi acertada com o município e em Guarapari ainda falta fechar o acordo. “As torres custaram 1,5 milhão para a UFES. Mas a cidade só teria que ceder o terreno em um lugar de segurança porque ninguém pode tocar”.  

Entre os benefícios que as areias monazíticas trazem para a saúde são inúmeros, e entre eles está a prevenção do câncer de mama.

O secretário de Turismo Edgar Behle afirmou que tem interesse em trazer a torre para o município. “Sim. Queremos e vamos correr atrás dessa torre”.  Para o secretário esta é uma oportunidade que o município ganhou para fazer jus ao título de cidade saúde. “Já estava em nossa pauta resgatar o nome de cidade saúde. Vocês estão nos dando o subsídio técnico científico para a gente chancelar de uma vez por todas Guarapari cidade saúde”.

Ele também lembrou que a comunidade precisa fazer sua parte cuidando do meio ambiente. “É um desafio gigantesco para que a gente possa colocar isso em prática. Não é só a prefeitura, mas a sociedade toda não sujar as praias, fazer as ligações de esgoto na rede. O que adiante termos uma areia maravilhosa se a gente joga esgoto na areia da praia? Vamos parar com isso”.

Edgar revelou ainda que o município está desenvolvendo um grande projeto turístico que deve ser apresentado no próximo ano e também que o Radium Hotel vai passar por reforma. “Estamos desenvolvendo uma atividade plena de recuperação do Radium. Vai ser uma obra gradual e hoje já veio uma oportunidade incrível do fomento do turismo de saúde para aquele espaço”, finalizou.

Institucional MAllagutti
Banner Marcelo
Institucional Basic Idiomas

Padrão

1 COMENTÁRIO

  1. Puro kO , turismo de Guarapari e alugar casas na praia do morro p mineiros !!! Cidade sem restaurante internacional, sem casa de câmbio , sem transporte acessível !!! E cidade p veraneio e garotada de vitória passando final de semana nas danceterias e só isso !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here