* Por Roniel Sampaio Silva

Quem nunca viu aquelas carinhas engraçadas corriqueiramente utilizadas nas redes sociais, chamadas emoticons? Elas são mais que mero “desenho engraçado. Tais carinhas buscam suprir elementos importantes nas relações sociais face-a-face. Buscarei explicar, de forma breve, como isso ocorre. Para tal tarefa recorrerei às contribuições do sociólogo americano Erving Goffman.

A nossa expressão corporal expressa muito do que somos e de como estamos. Para Goffman nossos papeis sociais se constituem conforme o contexto que nos envolve, o que ele chama de o palco ou cenário. Em outras palavras, dançamos conforme a música, ou melhor, na metáfora do autor, representamos conforme o script do teatro. Desse modo, o nosso papel social de professor, filho, marido e amigo dependerá da do lugar que estamos e com quem estamos..

images (2)

E quando a interação não é face-a-face? Ainda que não sejam presenciais, a necessidade de emitir sinais que outros possam entender qual papel estamos representando não deixa de existir. Devido tal necessidade são criados mecanismos que exprimam – ainda que de maneira simplificada – sinais para que o outro entenda o que estamos representando. Na necessidade de representar alguém simpático ou não, alegre ou triste, atencioso ou desatencioso nas relações sociais online, criou-se outros meios para substituir o sorriso ou o olhar. Eis que alguém teve uma ideia de suar alguns caracteres para representar um sorriso, como “:-)” , ou ainda, um “:-(” pra se referir a melancolia.

O fato é que todos esses recursos estão sendo aprimorados para serem usadas nas ferramentas tecnológicas de comunicação que dispomos. Surgiram assim os famosos emoticons animados, gifs personalizados. Tudo isso pra se referir a uma necessidade social quando não se dispõe de webcam.

Roniel Sampaio Silva é sociólogo/UFPI e professor de Sociologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia/IFRO. Editor da Revista Café com Sociologia e do Blog Café com Sociologia.

* O texto que segue foi escrito, exclusivamente para esse espaço, pelo sociólogo e professor Roniel Sampaio Silva, meu parceiro no Blog Café com Sociologia. Nesse texto o autor apresenta de forma objetiva e interessante elementos do cotidiano sob uma perspectiva do “Interacionismo Simbólico” de Goffman. Espero que gostem desse papo sociológico.

Deixe seu comentário