Fiquei tão atônito com o que aconteceu nestas últimas 3 semanas, principalmente lá no Rio Grande do Sul que fiz alguns textos, mas achei que não seria o momento de postar.

Então, resolvi fazer esse documento (até pelo tamanho) para te contar um pouco sobre a origem e sobre essa intensa onda de notícias não verificadas, as famigeradas “Fake news”.

Nos últimos anos, as tais fake news têm se tornado uma preocupação crescente em todo o mundo, gerando desinformação e confusão entre os consumidores de notícias.

Fato ou Fake? Nunca saberemos…

No Brasil, esse fenômeno não é novo e remonta à época de ouro dos blogs, como o Bobolhando que, em 2008, protagonizou uma das histórias mais icônicas desse universo digital.

E que, por um acaso, era de propriedade deste que vos escreve.

Nessa época, um rumor inventado por nós, atribuiu a um Pastor fictício a teoria de que o ícone do USB era, na verdade, um tridente demoníaco.

Um dos maiores Portais de Notícias do Mundo caiu nessa lorota

Essa história absurda ganhou proporções inimagináveis, sendo reproduzida em veículos de comunicação ao redor do mundo, incluindo uma nota na Playboy da Venezuela e uma matéria que rendeu até um mea culpa do renomado jornal The Times (Duvida? Clique aqui).

A gente até contou um caso do rapaz que largou a mulher para ficar com o sogro antes disso acontecer de verdade.

O surgimento do site “Sensacionalista”, na mesma época, também contribuiu para o avanço das fake news no Brasil, apresentando notícias satíricas e absurdas que muitas vezes eram interpretadas como verdadeiras por parte do público.

Um outro exemplo marcante ocorreu em 2014, quando um vídeo viral afirmava que a Coreia do Norte era o melhor time da Copa do Mundo, quase gerando um incidente diplomático.

Toda lorota tem uma origem

Atualmente, as fake news continuam a se espalhar rapidamente, especialmente em momentos de crise e desastres, como o ocorrido recentemente no Rio Grande do Sul.

Pablo Marçal vs. Fake News: Vilão ou Herói?

Nesse contexto, é fundamental que os consumidores de notícias estejam atentos e saibam como identificar informações falsas para evitar serem enganados.

Existem várias maneiras de descobrir uma fake news. Primeiramente, verifique a fonte da informação e busque por fontes confiáveis e dê preferência a canais oficiais de órgãos. Além disso, esteja atento a manchetes sensacionalistas e a informações que pareçam improváveis ou exageradas.

Outra estratégia útil é checar a veracidade da notícia em sites especializados em fact-checking, que se dedicam a investigar e desmentir informações falsas. Outrossim, é importante analisar o contexto da notícia e buscar por corroboração em outras fontes independentes (ou até mesmo pelo Google) antes de compartilhá-la.

Todo cuidado é pouco, ou não.

As fake news não apenas causam danos à credibilidade das informações, mas também podem ter sérias consequências para as pessoas e empresas envolvidas. O famoso “cancelamento” é uma das maiores armas dessas notícias inventadas (ou direcionadas).

Rogério Lima tem experiência de mais de 21 anos trabalhando com conteúdo para sites e blogs, marketing de conteúdo e redes sociais.

Como profissional com mais de 21 anos de experiência em conteúdo para internet e um dos pioneiros nessa “arte” (mas para o bem, ok?), hoje estou empenhado em combater a disseminação de fake news e promover uma cultura de informação responsável e ética.

Por isso, convido você a continuar essa conversa em todas as minhas redes sociais, onde estaremos discutindo temas relevantes e compartilhando insights sobre como identificar e combater (ou identificar) cada notícia falsa.

Lembre-se que você pode me encontrar como @‌orogeriolima em todas as plataformas e redes sociais.

Mas me conta: Qual foi a fake news que você até hoje acha que é verdade?