A Companhia Siderúrgica Ubu (CSU) –  ligada a Vale – continua em busca da licença para  construir siderúrgica em Anchieta. De acordo com o cronograma original elaborado pela Vale, as obras da CSU, começariam em 2011 e seriam entregues em 2014, mas, até hoje, nada foi concluído.

De acordo com o site Século Diário, a CSU publicou ontem, no Diário Oficial do Estado,  que requereu ao Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA), a renovação da Licença Prévia para produção de semi acabados de aço, no município do sul do Estado.

sider__rgica_min_eeadb-973510
Projeto mostra perspectiva da CSU: no cronograma, obras começariam em 2011. Foto Divulgação.

A licença é para construir a Companhia Siderúrgica de Ubu (CSU)  na Chapada do A, em Anchieta. O projeto inicial seria tocado com parceria da Vale e a chinesa Baosteel Corp. e foi adiado algumas vezes. Previa que a CSU produziria 5 milhões de toneladas/ano de aço, com potencial de emissões de 9,7 milhões de toneladas/ano de gás carbônico (CO2), gás que provoca o aquecimento global. Mas o mercado poderá levar a empresa a produzir o dobro de aço na siderúrgica.

Samarco. No ano passado, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a transferência de reserva mineral para exploração de minério de ferro da Vale para a Samarco Mineração, empresa que pertence aos grupos Vale e BHP Billiton.

A Samarco tem em Ubu quatro usinas de pelotização. Com a quarta usina, a empresa ampliou em 37% a capacidade de produção, passando para 30,5 milhões de toneladas anuais. A empresa não descarta, além da mineradora para a qual agora requer licença, uma quinta usina de pelotização na região.

Reposta. procuramos a  Prefeitura de Anchieta, que nos informou através de nota que “A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente informa que está acompanhado o andamento dos trabalhos relacionados à Companhia Siderúrgica Ubu (CSU) que pretende se instalar em Anchieta, sendo inclusive signatária do Termo de Compromisso Ambiental inerente ao cumprimento das condicionantes da CSU. 

No entanto, esclarece que o licenciamento deste empreendimento é de competência Estadual e não Municipal. Acrescenta que não há confirmação no momento por parte da Vale de que o projeto será implantado, tão pouco em que data. Completa informando que a empresa solicitou apenas o pedido de prorrogação da licença anterior, que só dá direito à localização do projeto. Para início das obras é necessário à licença de instalação”

Deixe seu comentário