Parece que passar 50 dias na cadeia por conta da Operação Derrama – mesma que levou para prisão Edson Magalhães – deu inspiração para o ex-prefeito de Anchieta, Edival Petri (PMDB), escrever um livro. Segundo o político, ele leu 13 livros enquanto estava preso. Edival não consegue lembrar de todos os títulos, porém lembra de ter lido a biografia de Martin Luther King, um livro do Padre Léo e “O líder sem status”.

Edival Petri vai lançar livro. Foto: A Gazeta.
Edival Petri vai lançar livro. Foto: A Gazeta.

O último, de acordo com ele, caiu bem à situação, pois mostra como é ser líder sem cargo. Depois de ler todos os livros, Edival escreveu “material para 16 capítulos” e busca uma editora para lançar sua obra. “Vou relatar os 50 dias na prisão, associados às leituras e um pouco da situação que me levou à prisão”, conta.

Motivo da prisão

Edival foi preso em 15 de janeiro e solto na madrugada do último dia 6, junto com outras 29 pessoas, sendo oito ex-prefeitos, indiciados por participar de suposto esquema de cobrança ilegal de tributos em oito prefeituras, que tinham contrato com a CMS, de propriedade de Cláudio Salazar.

Deixe seu comentário