Os guarda-vidas que deveriam estar de serviço na Praia do Morro na tarde de ontem (30), quando ocorreu a morte de um turista mineiro, podem perder o emprego se ficar comprovado o abandono de posto na hora do afogamento. (Saiba mais)

A afirmação é da secretária municipal de saúde, Aurelice Vieira Souza. A secretária disse que já foi aberto um processo administrativo para apurar quem eram os guarda vidas que deveriam estar na área onde ocorreu o afogamento na tarde de ontem, através da escala de serviço do dia.

“Para servidores efetivos é aberto processo administrativo – PAD, e para os contratados, confirmando falha, é solicitado cancelamento do contrato temporário após ouvir o servidor”, explicou a secretária.

aurelice
A secretária de saúde, Aurelice Vieira Souza, afirmou que os guarda-vidas poderão ser demitidos. Foto: Arquivo Portal 27/Divulgação.

Aurelice disse ainda que nem todos os pontos onde ficam os guarda-vidas possuem abrigos e eles podem se abrigar da chuva em outros locais, mas devem verificar a área frequentemente para evitar afogamentos como o ocorrido ontem.

“Há três pontos chamados como “base” distribuídos pela orla, porém nem todos os guarda-vidas podem se abrigar, pois estarão saindo do seu posto de vigilância, pois eles têm que caminhar por toda a extensão que está sob sua responsabilidade. Sendo assim é solicitado que no momento de chuva forte estejam se abrigando, porém periodicamente estejam na orla para ver se há banhistas no mar. É solicitado aos quiosques apoio pra que se abriguem do mau tempo”, finalizou.

Ausência de guarda-vidas

P1000322
Bandeira vermelha próxima ao local do afogamento. Foto: João Thomazelli – Portal 27

Apesar de ter uma bandeira vermelha de advertência próxima ao local onde ocorreu o afogamento e morte do turista mineiro, nenhum guarda vida foi visto nas proximidades. Para resgatar o corpo do turista, dois policiais militares entraram na água fardados. Banhistas também ajudaram no resgate.

Deixe seu comentário