Na matéria sobre o primeiro óbito por coronavírus em Guarapari, o Portal 27 recebeu mensagens de alguns leitores questionando a grafia da palavra “Itapebuçu”, que comumente é escrita em placas com o dígrafo SS ou até mesmo um acento agudo na última letra. Mas, segundo o apurado por nossa equipe, a forma correta de se escrever o nome do bairro é “Itapebuçu“, com c cedilha e sem acento no u.

Gramática. A professora de Língua Portuguesa, Ana Cristina Pádua, conta que a escrita incorreta do nome é, infelizmente, comum. Inicialmente, ela esclarece o motivo da palavra não ter acento no U: “As pessoas têm mania de colocar acento em oxítonas terminadas em u, e isso é errôneo. Palavras como ‘caju’ e ‘tatu’ não têm acento”, demonstra a professora.

A professora de Língua Portuguesa, Ana Cristina Pádua, conta que a escrita incorreta do nome é, infelizmente, comum.  Foto: Laura Botechia

Língua.  Ana Cristina também explica que o uso do dígrafo ss não pode ser usado ao escrever o nome do bairro em questão. “Existem razões etimológicas, nós não podemos simplesmente escrever as palavras do jeito que queremos. Não podemos atropelar uma história de língua, que veio lá do latim e teve diversas interferências. No caso de ‘Itapebuçu’, essa interferência foi indígena.”

A professora de Português explica que o uso de cedilha em palavras de origem do tupi-guarani é uma norma gramatical. “Convencionou-se, na gramática, que palavras de origem indígena são grafadas com c cedilha. ‘Açaí’, ‘Cupuaçu’ e Muquiçaba’ são exemplos. É totalmente fora do eixo escrever essas três palavras com cedilha e grafar ‘Itapebussu’. É mais um exemplo de pessoas que têm acesso ao Poder e não conhecem a língua. No nosso município, se você escrever ‘Itapebuçu’ corretamente, nem aparece no site dos Correios. Até a placa do bairro apresenta o erro de grafia”.

“Mais um exemplo de pessoas que têm acesso ao Poder e não conhecem a língua”: Até o Google Maps tem o nome do bairro grafado incorretamente em seus dados.

História. A professora e historiadora Beatriz Bueno explicou, em entrevista anos atrás, ao Portal 27, o significado dos nomes de praias e bairros de Guarapari, como Muquiçaba e Meaípe. Em vídeo, a especialista capixaba ensina termos em tupi-guarani que se popularizaram nos nomes dos bairros da Cidade Saúde.

“Todo nome tupi-guarani, quando a gente descobre o significado, a gente sabe da realidade da época. Em ‘Itapebuçu’, ‘ita’ é pedra e ‘buçu’ é laje, laje grande. Quando você entra em Itapebuçu, você vê uma laje de pedra, que vai entrando no canal, onde tem um estaleiro de barcos… É um lajeado”, ensina Beatriz Bueno. Confira a matéria na íntegra, no vídeo.