Uma mulher com suspeita de gripe H1N1 faleceu em Anchieta, após ter aguardado 24 horas na Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari por uma transferência. Segundo informações de parentes e amigos, a paciente deu entrada na UPA com problemas respiratórios e chegou a ser entubada, mas ela precisava ser atendida em um hospital.
 
Unidade de Pronto Atendimento de Guarapari

A vítima era moradora do bairro Porto Grande em Guarapari e juntamente com ela, deram entrada também suas duas filhas com suspeita da mesma doença. Uma, segundo informações, recebeu alta da UPA hoje e outra foi transferida para o hospital Dório Silva em Vitória. 

 
 
De acordo com o vereador Denizart Zazá, a senhora foi atendida no UPA. “Ela foi atendida, entubada, mas a UPA não tem condições de ficar com uma pessoa com essa gravidade. Uma das filhas dela está internada no isolamento da UPA com suspeita também de H1N1. A situação está crítica na cidade. Não temos materiais de limpeza no UPA”, afirmou o vereador se referindo à falta de material para esterilização como álcool gel e cloro no Pronto Atendimento de Guarapari.
 
Vereador Denizart
Entramos em contato com a Prefeitura Municipal de Guarapari para verificar se a morte por H1N1 foi confirmada e perguntamos também sobre o material de limpeza, uma vez que é necessária esterilização do espaço da Unidade de Pronto Atendimento. Recebemos o seguinte retorno do município.
 
Resposta
 
“Lamentavelmente, de forma equivocada e completamente irresponsável, está circulando nas redes sociais, uma falsa informação (fake news) de que Guarapari registrou mortes por H1N1 nos últimos dias. A Secretaria Municipal de Saúde esclarece que até o momento o município não possui caso confirmado da doença.
 
Entretanto, o fato é que, infelizmente, uma moradora de Guarapari veio a óbito, em Anchieta, com uma síndrome respiratória aguda grave, não sendo este quadro uma confirmação da doença. O município aguarda laudo do Serviço de Verificação de Óbitos – SVO, para confirmação da causa.
 
Duas outras pacientes estão sob observação sendo, uma na Unidade de Pronto Atendimento – UPA e outra que foi transferida para o hospital Dório Silva. Vale ressaltar que a UPA segue trabalhando de forma regular com equipe profissional completa e sem ausência de insumos.
 
Toda a equipe da Vigilância Epidemiológica do município está ciente da suspeita e já está atuando de forma preventiva, com trabalhos de bloqueio, através da distribuição da medicação de quimioprofilaxia para os familiares. 
 
Outro fato lamentável, é que alguns grupos políticos estão se utilizando da dor dos familiares num momento tão delicado. No momento o mais importante é apuração dos fatos, bem como nos consternarmos com a situação dos familiares, que perderam um ente querido.
 
Mesmo sem casos confirmados, o município alerta para a importância da prevenção a fim de evitar a contaminação pelo vírus Influenza H1N1.
 
São ações simples como sempre as mãos, principalmente após tossir e espirrar, utilizando água e sabão ou, ainda, álcool 70%; utilizar lenços descartáveis;  deixar o ambiente sempre ventilado;  cobrir boca e nariz sempre que espirrar ou tossir;  não tocar na região dos olhos, nariz e boca sem que a mão esteja limpa;  não compartilhar objetos de uso pessoal, como garrafas, copos e talheres;  evitar contato com pessoa doente, evitando abraços, beijos e apertos de mão;  evitar aglomerações em épocas em que o número de casos da doença for alto.
 
Atualização
 

A paciente que estava sob observação na UPA já teve alta, com prescrição de tamiflu para tomar em casa”.

 
 
 
Deixe seu comentário

Comments are closed.