A primeira etapa da revitalização e restauração do Museu do Santuário Nacional São José de Anchieta começa nesta semana. O Ministério da Cultura (MinC) liberou R$ 5,6 milhões de incentivo da Lei Rouanet, com o patrocínio da Vale, e nesta sexta-feira (25), às 10h, será realizada uma cerimônia para a assinatura da ordem de início das obras.

O deputado federal Evair de Melo (PP-ES) destaca a importância desse investimento para a preservação da memória capixaba mas sobretudo para a história e a economia do município que sente os reflexos em sua receita com a paralisação das atividades da empresa Samarco.

O Ministério da Cultura (MinC) liberou R$ 5,6 milhões para a restauração do Santuário Nacional São José de Anchieta.

Evair que participou do processo para aprovação do Governo Federal lembra que, em 2015, foi iniciado o trabalho em busca desses recursos, a partir de uma audiência no Ministério da Cultura com a presença do padre Cesar Augusto dos Santos e de representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Nesses três anos foram diversas ações até a passagem do projeto pela Diretoria de Incentivo à Produção Cultural do MinC.

O Projeto. Atualmente, o museu encontra-se em estado precário, sem espaços e mobiliário apropriado, os objetos necessitam urgentemente de restauro e o museu precisa ser modernizado.

O projeto de restauro e revitalização busca a preservação da história da Catequese no Brasil e também a valorização da formação do povo brasileiro dentro do contexto do Brasil Colonial. Além da exposição permanente do seu acervo, o público também deverá ter uma experiência sensorial, através da música, da poesia e literatura, entre outros elementos através da interatividade.  

O projeto inclui ainda a construção de banheiros adaptados a normas específicas, sala multimídia, lanchonete, biblioteca, velário, loja e projetos específica de luminotécnica, comunicação visual, instalações e prevenção e combate a incêndios e roubos. Outra importante obra é a construção de plataformas elevatórias para que os visitantes possam ter acesso tanto à Cela de São José de Anchieta quanto às salas do Museu.

O restauro será realizado pelo Instituto Modus Vivendi que foi responsável pelos restauros da Catedral de Vitória e da igreja do Rosário, em Vila Velha.

Importância histórica e cultural. O Museu Nacional Padre José de Anchieta, faz parte de um conjunto arquitetônico tombado em 1943 pelo IPHAN, anexo à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção. O museu foi criado em 1965 para preservar as imagens e objetos litúrgicos que estavam fora de uso, bem como preservar uma das mais importantes culturas e histórica jesuítica do Brasil. O local onde Padre Anchieta viveu boa parte da sua vida guarda a memória do Brasil. Anchieta foi beatificado pelo Papa João Paulo II  e santificado pelo Papa Francisco, em 06 de junho de 2014, dia de sua morte.