Adryan Cabral Silva tem apenas três anos de idade e desde bebê enfrenta um sério problema. Aos cinco meses de vida o menino foi diagnosticado com necessidade especial em MMII (nos membros inferiores), ele tem o diagnóstico de esparticidade e pé equino. Para melhorar sua qualidade de vida, Adryan precisa passar por uma cirurgia de correção de alto custo e seus pais estão fazendo uma vaquinha para conseguir fazer o procedimento.

Adryan precisa de ajuda para voltar a andar

Adryan já faz acompanhamento com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e ortopedista e passou recentemente por uma avaliação com um especialista em Joinville Santa Catarina, que relatou a urgente necessidade do procedimento cirúrgico chamado Rizotomia Dorsal Seletiva (RDS).

Indaiara Guedes Cabral, mãe de Adryan, é técnica de enfermagem e seu marido, Alyson Rodrigues Silva, é eletricista. Segundo Indaiara, a deficiência de Adryan foi descoberta bem cedo, pois ele apresentou sequelas semelhantes a uma criança que teve paralisia cerebral, que é a questão da necessidade especial nos membros inferiores.

Família reunida: Adryan e seus pais

As dificuldades. Indaiara conta que, embora tenha tido uma gravidez normal e um parto normal, Adryan já nasceu com a enfermidade. “Ele tem esparticidade nos membros inferiores, nas perninhas, pé equino, que pisa de ponta de pé e tem o bracinho esquerdo um pouco afetado, ele não tem muito equilíbrio, mas é a esparticidade, uma rigidez na musculatura que o impede de andar, o que impacta no desenvolvimento dele”, afirmou a mãe dizendo que a esparticidade está em grau quatro e ainda pode ser um problema corrigido: “ela provoca atrofiação nos nervos e nos músculos e dores, quanto antes ele fizer o procedimento, ele tem 80 ou 90% de chance de recuperação, de conseguir andar”.

O procedimento. “Esse procedimento de rizotomia dorsal seletiva é novo aqui no Brasil, só três especialistas fazem, um deles é o médico de Joinville. Voltamos da consulta na semana passada e foi detectado o grau, por isso voltamos com a documentação para dar entrada no plano de saúde e tentar agilizar ao máximo. Resolvemos aderir a vaquinha, porque pelo plano de saúde não tem especialista que faça o procedimento. Estou com a documentação para dar entrada, mas não posso ficar esperando a justiça, porque a saúde do meu filho está em risco e há possibilidades dele andar, mas a idade exata pra fazer o procedimento é agora”, afirmou a mãe.

Foto cedida pela família

Adryan não tem problema de desenvolvimento cognitivo, frequenta a escola há dois anos, mas precisa de ajuda para poder andar, pois só consegue dar os passinhos com apoio. A cirurgia custa R$95 mil reais e quem puder contribuir deve acessar o endereço: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/624815 e realizar a doação. As doações também podem ser feitas diretamente com os pais do menino: (27) 99791-0328 (Indaiara) e (27) 99286-3125 (Alyson), ou por depósito em conta no nome de Indaiara Janaina G Cabral (Banco: Caixa Econômica Federal, agência: 0881, operação: 013, conta poupança: 37282-2). “Está sendo difícil, doloroso, mas eu sei que Deus está conosco, ele é o meu milagre que Deus me prometeu e eu sei que Deus vai realizar o milagre que ele necessita”, finalizou a mãe de Adryan.

Deixe seu comentário