Um pastor, a esposa e o filho foram presos na tarde de hoje em Guarapari suspeitos de manter cerca de 15 idosos em cárcere privado. A Polícia Civil chegou ao local depois de receber denúncias de um órgão da prefeitura ligada à Secretaria de Assistência Social.

A prisão aconteceu por volta das 15 horas de hoje no Bairro Lameirão. “Nós recebemos uma denúncia de que sempre que os assistentes sociais iam a uma clínica para tratamento de dependentes químicos, eles ficavam restritos apenas aos prédios onde ficavam os homens e mulheres dependentes e não conseguiam verificar duas construções que ficavam dentro da propriedade, pois os donos sempre inventavam uma desculpa”, explicou o Delegado Franco Malini, que foi quem comandou a ação.

No local, que fica no Bairro Lameirão, funciona uma clínica para dependentes químicos.
No local, que fica no Bairro Lameirão, funciona uma clínica para dependentes químicos.

Ainda de acordo com Malini, ao chegarem no local foram recebidos pelo pastor, que disse que as duas construções não faziam parte da clínica. “Nós chegamos até uma das casas e vimos que estava com as janelas fechadas e a porta com uma corrente com cadeado fechado pelo lado de fora, mas vimos um vulto lá dentro e cortamos a corrente.

Ao abrirem a porta da primeira casa os policiais ficaram surpresos: vários idosos eram mantidos presos no local, sem iluminação ou acompanhamento. “Quando abrimos a porta veio aquele ar quente lá de dentro, mesmo com a chuva que estava caindo. Os idosos que estavam lá ficaram nos olhando com cara de assustados”, completou o delegado.

Na outra casa os policiais encontraram a situação semelhante. Idosos de ambos os sexos trancados em um local sem iluminação ou ventilação.

Os idosos estavam trancados em local sem iluminação ou ventilação
Os idosos estavam trancados em local sem iluminação ou ventilação

Depois de constatar o crime, o delegado deu voz de prisão para o pastor, a esposa dele e o filho. “Com base no que eu vi, dei voz de prisão aos três por cárcere privado e com base em um artigo do Estatuto do Idoso que versa sobre expor a perigo a integridade física e a saúde do idoso”, disse.

Desdobramentos

Os três administram o local e por isso foram conduzidos para a delegacia e autuados pelo delegado Sadi Jorge, que estava no plantão, por cárcere privado. Os detidos preferiram não falar com a reportagem do Portal 27.

Os idosos foram atendidos por uma equipe da Secretaria de Assistência social e levados para outro local.

O advogado José Lauro Lyra, que está representando os detidos, disse que ainda não teve acesso às acusações e não poderia comentar o caso. Ele inclusive alegou que foi impedido pela polícia a ter acesso aos seus clientes.

Já o delegado disse que isso não ocorreu e que no momento em que finalizou a ocorrência e entregou ao delegado plantonista, o advogado teve acesso aos clientes.

Deixe seu comentário