A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari prendeu em flagrante, nessa terça-feira (23), um suspeito, de 19 anos, investigado como um dos autores do homicídio que vitimou um homem de 40 anos no bairro Kubitschek, em Guarapari. A prisão do suspeito foi realizada 12 horas após o crime, no mesmo bairro.

O crime aconteceu na noite de segunda-feira, no bairro Kubitschek, em Guarapari.

O homicídio aconteceu por volta das nove horas da noite dessa segunda-feira (22). A vítima foi atingida por mais de 30 disparos de arma de fogo, chegou a ser socorrida pela esposa, mas já chegou ao hospital sem vida.

A DHPP Guarapari iniciou as investigações e diligências logo após o fato e identificou todos os suspeitos. “A vítima teria ameaçado os suspeitos, em razão de estarem comercializando drogas próximo à sua casa. Não descartamos a possibilidade de a vítima também realizar venda de drogas naquela área, causando um conflito entre eles”, disse o titular da DHPP de Guarapari, delegado Franco Malini.

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito foi identificado devido ao veículo que utilizou para fugir. “Localizamos o suspeito transitando pelo bairro Kubitschek na mesma motocicleta que usou para fugir do local do crime. Ele foi detido e, em depoimento, não confessou que matou a vítima, mas afirma que havia sido ameaçado pela mesma horas antes do crime”, disse Malini.

As investigações continuam com o intuito de localizar os demais suspeitos e apreender as armas de fogo utilizadas no crime. “Nós chamamos a população, para cada vez mais colaborar com a polícia por meio do Disque-Denúncia 181, para que possamos tirar esses criminosos de circulação. Esses indivíduos já foram identificados e as diligências continuam até que todos os autores sejam presos”, relatou o delegado.

O suspeito foi autuado em flagrante delito por crime de homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, emboscada e perigo comum. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Guarapari, onde permanece à disposição da Justiça.

Com informações da Polícia Civil
Deixe seu comentário