Sete pessoas foram detidas na manhã de hoje (24), acusadas de participarem de uma quadrilha que comandava o tráfico de drogas na Praia do Morro, em Guarapari. Com eles, a polícia encontrou drogas, dinheiro, armas, munições de uso restrito e materiais que caracterizam a comercialização de entorpecentes, como caderno de anotações e balança de precisão.

O grupo que realizava o tráfico de drogas na região da Praia do Morro estava sendo monitorado há quase três meses. Foto: Roberta Bourguignon.
O grupo que realizava o tráfico de drogas na região da Praia do Morro estava sendo monitorado há quase três meses. Foto: Roberta Bourguignon.

Cerca de 60 agentes da Polícia Civil participaram da operação para cumprir os mandados de prisão preventiva em diferentes ruas da Praia do Morro, em Vila Velha e em Minas Gerais. O grupo é acusado de comandar o tráfico na Praia do Morro e Praia dos Adventistas, em Guarapari, e ainda nos Bairros Aribiri e Paul em Vila Velha.

O sol ainda começava a raiar quando os delegados da 5ª Delegacia Regional de Guarapari, seus investigadores, agentes da Polícia Civil de Guarapari e Vitória, do Grupo de Operações Táticas (GOT), da Superintendência de Polícia Regional Sul (SPRI) e da Secretaria de Segurança do Estado se reuniram para participar da Operação Sucuri, desencadeada pelos investigadores da Delegacia de Infrações Penais e Outros (DIPO), comandada pelo delegado Franco Malini.

quadrilha Praia do Morro
Callir, Joseny, Almir e Anselmo Valério são acusados de participar de uma quadrilha que comandava o tráfico de drogas na Praia do Morro.

De acordo com a polícia o grupo lucrava de 30 a 40 mil reais por semana. Um dos chefes da quadrilha, Lutieley Costa, mais conhecido como “PK”, foi preso em Betim pelos policiais da Delegacia de Narcóticos de Minas Gerais, e o outro Anselmo Valério, foi preso em Vila Velha. “Nosso maior alvo eram os comandantes, PK e Anselmo, que compravam drogas de fora do estado para vender em Guarapari e Vila Velha”, explica o delegado Franco Malini.

Anselmo Valério
Anselmo Valério foi preso em Vila Velha e é considerado um dos chefes da quadrilha.

Anselmo Valério de Souza, 30, é apontado pela polícia como sócio de PK, e cada pessoa detida representava uma função dentro da quadrilha segundo a polícia. Joseny Alves Mirande, o “Jhoe” era sub gerente do tráfico e aliciava menores para revender entorpecentes na orla da Praia do Morro e no entorno. Callir Bittar Souza, vulgo “Ted” comercializava droga nos prédios coloridos, de acordo com os investigadores.

Almir Moreira de Jesus, conhecido como “Aranha”, é parceiro de Anselmo em Vila Velha e estava com ele no momento da prisão. Já a ex esposa de Anselmo, Carla Jane Barbosa foi encontrada em Guarapari. Segundo a polícia, ela guardava a droga no apartamento alugado em nome de Anselmo na cidade. E ainda um menor de 17 anos também foi conduzido ao DPJ por crime análogo ao tráfico e será apresentado ao juiz.

Além dos detidos, foram apreendidas quase 100 munições de calibres diferentes, um revólver calibre 38 com Anselmo, 8 papelotes de cocaína com Joseny, mais de 15 celulares e cerca de R$ 14 mil também com Anselmo, que segundo a polícia seria proveniente da venda de drogas feita no final de semana.

IMG_0031
Robson Damasceno afirma que a Operação Sucuri foi um sucesso.

Para o delegado chefe da 5ª Delegacia Regional de Guarapari, a Operação Sucuri foi um sucesso, onde diversos pontos do município foram vistoriados, inspecionados e ao final a operação alcançou seus objetivos, de prender drogas e traficantes, inibindo assim, crimes futuros.  “A operação realmente foi um sucesso. Prendemos traficantes, armas e drogas. A ação inibi também o crime por homicídio, já que poderia ocorrer uma guerra de tráfico por estes traficantes, por querer dominar um espaço maior”, conta o delegado chefe Robson Damasceno.

Senhor é preso em flagrante durante a Operação. Durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão onde estava Carla Jane, Antônio Geraldo foi detido com uma espingarda e foi autuado por porte ilegal de arma de fogo. Ao chegar no local, a polícia flagrou Antônio com três mulheres seminuas, inclusive Carla Jane. Durante busca no apartamento a arma foi encontrada.