O prefeito de Guarapari, Orly Gomes (DEM), reuniu a imprensa na tarde de hoje (23) em coletiva, para comunicar que a Unidade de Pronto Atendimento Infantil (UPAI), vai se transformar em um hospital Infantil, administrado pelo Hospital filantrópico Infantil Francisco de Assis, de Cachoeiro de Itapemirim.

UPAI
UPAI agora será o novo Hospital Infantil de Guarapari. Foto Wilcler Lopes.

De acordo com o prefeito, os atendimentos de urgência e emergência não vão parar durante a transformação da UPAI em hospital. Todo o custeio do  Hospital Infantil  de Guarapari será feito pelo governo do Estado, seguindo um contrato de 5 anos.

Todos os 96 funcionários do hospital, serão realocados para as unidades de saúde  da cidade. O projeto autorizando este convênio está na procuradoria municipal e seguira para a Câmara Municipal para aprovação. “Esperamos que tudo esteja pronto até dezembro”, disse o prefeito.

O prefeito diz que este projeto está sendo feito desta maneira em virtude da extrema preocupação com a situação das crianças. “Nosso problema é a parte da criança. Fizemos mais de 35 partos no UPA e temos muito medo de perdermos vidas neste trafego da br, levando nossas crianças para outros hospitais”, explicou.

CAM00429[1]
Prefeito explicou detalhes da parceria para o novo Hospital. Foto Wilcler Lopes

Perguntado se o novo hospital infantil vai atender também particular, o prefeito afirmou que não sabe. “Não tivemos envolvimento no contrato com essa instituição”, diz.

O prefeito diz que com esses funcionários do UPAI sendo realocados para unidades de saúde,os atendimentos serão melhorados nos bairros. “Não temos falta de médicos. Nós temos uma dificuldade dos médicos em cumprir os horários”, disse.

Gastos. sobre a contenção de gastos que seria anunciada, ele disse que ainda não tem nada definido. Mas que mudanças serão feitas. Não estando descartadas redução de comissionados ou de secretarias. O prefeito reclamou das receitas da cidade, que são poucas e diz que situação pode piorar.“Esse ano foi a menor receita da cidade. Estamos prevendo  perdas para 2014. As coisas serão mais apertadas”, afirmou.

Mais detalhes em outras matérias.

Deixe seu comentário