A vereadora Rosângela Loyola (PDT) está no meio de uma grande polêmica contra os seus colegas da Câmara Municipal de Guarapari. Depois de dizer no plenário, no mês de janeiro, que seus colegas não estavam votando o orçamento como o prefeito queria, para depois fazerem “berganha”, conforme mostrou o Portal 27 na época, agora surge uma situação mais grave.

Declarações. Em um áudio que o Portal 27 teve acesso, a vereadora afirmou que “para votar na mesa diretora agora, pra votar na mesa diretora, tem vereadores que recebem, tem vereadores que não é pouco, é muito; só vota a poder do dinheiro”, disse ela em parte do áudio e complementou. “A vereadora Rosângela, não. Ela só vai votar por uma coletividade. Para fazer algo pro povo”, falou.

A vereadora Rosângela Loyola (PDT) está no meio de uma grande polêmica contra os seus colegas da Câmara Municipal de Guarapari.

Proposta. O Portal 27 apurou que esse áudio foi captado em uma reunião política em que a vereadora estava ainda no mês de dezembro de 2018, durante a disputa pela presidência da Câmara.  No áudio a vereadora afirma que “Meu telefone não para de tocar, fizeram proposta para meu marido, porque eu não aceitei a proposta. Vieram falar com meu marido. Pensa em uma semana tumulada. Para você levar dinheiro, para votar no outro lado, para outra pessoa ser o presidente da mesa”, diz ela no áudio captado na reunião.

Assistencialismo. Ainda no áudio, a vereadora também dá declarações polêmicas, no que pode ser entendido como assistencialismo da parte dela. “Se alguém precisa de remédio, Rosangela tá ai para ajudar, alguém tá com fome, Rosangela tá ai para ajudar, alguém precisa de levar no médico, Rosangela tá ai para levar. Mas eu faço isso por amor”, afirmou. Confira o áudio completo.

Resposta. Procuramos a Câmara para que ela se manifestasse sobre essas declarações da vereadora, mas fomos informados que o Legislativo Municipal só tomou conhecimento do assunto pela imprensa e que por enquanto não vai se manifestar. Nós tentamos falar também com a vereadora, mas até o fechamento desta matéria não conseguimos contato.

Crimes. O Portal 27 apurou que as declarações da vereadora causaram revolta em seus colegas, que vão tomar providencias nos próximos dias. Fontes da Câmara ouvidas por nossa equipe dizem que nessas declarações a vereadora teria incorrido em vários crimes e principalmente na quebra de decoro parlamentar. Além disso, o assistencialismo que ela citou que faz, pode ser interpretado, de acordo com essa fonte, como compra de votos.

CPI. Diante das declarações da vereadora neste áudio, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), deve ser aberta contra ela para apurar o que foi dito. Com essa CPI, Rosângela pode ser afastada por 180 dias para que a Comissão possa fazer as análises sem interferências, podendo até mesmo ter o seu mandato cassado, se ficar comprovado que ela infringiu a legislação e o decoro parlamentar.

Deixe seu comentário

Comments are closed.