O juiz Romilton Alves Vieira Júnior, diretor do Fórum de Anchieta, considerou positivo o mutirão iniciado na Comarca desde o dia 11 de março, por determinação da Presidência do Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

Juiz vê mutirão como positivo.
Juiz vê mutirão como positivo.

Segundo o magistrado, tramitam atualmente na Comarca cerca de 8 mil processos, que sofreram atraso em seu julgamento por conta da suspensão de prazos processuais devido a necessidade de reforma no Fórum, devido às fortes chuvas que atingiram o município em dezembro e janeiro. “Agradecemos à Presidência do Tribunal de Justiça por sua sensibilidade em iniciar por Anchieta o mutirão marcado para este ano”, disse o juiz Romilton Vieira Júnior.

Inicialmente, o mutirão na Comarca de Anchieta terminaria nesta sexta-feira (15), mas a Presidência do TJES decidiu prorrogar o evento até o dia 12 de abril deste ano, por causa do “elevado acervo de processos aguardando cumprimento de determinações judiciais”.

O juiz Romilton Vieira Júnior informou que a prioridade no mutirão é a análise de processos que envolvem idosos, réus presos, pensão alimentícia e os que tramitam na esfera criminal. Também recebem atenção especial 115 ações indenizatórias de pescadores do município contra a Petrobras, por terem ficado oito meses sem poder pescar.

Fonte: TJES