Começou hoje (4) a venda para dos ingressos para o Rock in Rio. Vi muitos amigos comentando que estavam tentando comprar, mas que o site estava “dando pau”. Depois vi outros colegas dizendo que estava tudo quase esgotado e eles não conseguiam fazer suas compras. Eis que, menos de uma hora depois, encontro um print rolando na internet de um carioca oferecendo os tão desejados ingressos a R$ 1.000.

Print

Primeiro post. Foto: Print/Facebook.
Primeiro post. Foto: Print/Facebook.

Vou pesquisar mais sobre o assunto e descubro o que já imaginava. Isso é crime.

Lei

CRIME CONTRA A ECONOMIA POPULAR- Cambista que compra ingressos de espetáculo e os revende por preço superior ao real – Configuração: – Inteligência: art. 2º, IX da Lei de Economia Popular.

251 – Configura, em tese, o delito do art. 2º, IX, da Lei nº 1.521/51, a conduta do cambista que compra ingressos de espetáculo e os revende por preço superior ao real, máxime porque os cambistas, atuando de modo organizado e ardiloso, têm constantemente saqueado a economia popular com suas investidas, condicionando a diversão da população ao próprio enriquecimento. (Recurso em Sentido Estrito nº 911.579/1, Julgado em 20/12/1.994, 13ª Câmara, Relator: – Roberto Mortari, RJDTACRIM 24/474)

Outro cambista já foi preso no Rock in Rio 2011

Pesquiso mais um pouco e descubro que um outro cambista já foi preso sob suspeita de venda de ingresso no Rock in Rio 2011. Confira a matéria clicando aqui.

A contradição

O rapaz excluiu o post e fez outro dizendo que estaria vendendo ingressos, sem mais detalhes. Muitas críticas estão sendo feitas em seu perfil no Facebook. Ele está sendo xingado. Colaram inclusive a lei acima citada em seu post. Entretanto, algumas dessas pessoas também perguntaram o valor do ingresso.

Segundo post. Foto: Print/Facebook.
Segundo post. Foto: Print/Facebook.

Em Guarapari

Vivemos situações muito parecidas em nossa cidade. Afinal, temos muitas casas noturnas aqui. Várias vezes, inclusive fora de temporada, quis comprar ingresso e não encontrei, mas quando fui para porta da boate achei cambistas oferecendo eles. Aí me pergunto: cadê a fiscalização? Como deveria ser feito esse controle?

Conclusão

Refletindo sobre tudo isso cheguei a seguinte conclusão: enquanto houver São Jorge, cavalo não anda a pé.  Se ninguém comprar ingresso de cambista, isso acaba. Esquece. A sociedade é burra demais para isso.

Deixe seu comentário