Falta de manutenção no parapeito assusta turistas que buscam passeio de escuna.

Um dos programas mais procurados pelos turistas em Guarapari é o passeio de escuna pelas praias da cidade. Mas quem vai até o canal para embarcar nas escunas acaba se deparando com a situação de abandono dos parapeitos do local. Eles deveriam proteger quem passa na região, mas estão cheios de ferrugem, algumas partes até já desabaram e quem vai até lá não se sente seguro.

A falta de segurança preocupou a turista Aparecida Lima, de Minas Gerais, que aguardava pelo passeio de escuna. “ Isso aqui faz medo, não tem segurança. Quem vem com criança tem que ter muito cuidado. Eles deveriam olhar mais para isso aqui porque é um lugar tão bonito e gostoso de vir passear, mas tem que ter segurança né”.

Para a moradora de Vitória, Ingrid Ramos, o estado do parapeito é uma vergonha para a cidade. “Frequento Guarapari faz algum tempo e acho que nesse quesito turístico a cidade está deixando a desejar. Ela tem um grande potencial, mas a estrutura é muito falha. Isso aqui está muito feio, não é nada convidativo. A pessoa vem de fora e muitas vezes já visitaram lugares bem bonitos no mundo e chegam aqui e encontram essa situação. Acho isso bem vergonhoso para a cidade”.

A falta de manutenção preocupa quem trabalha nas escunas pela insegurança e também pela aparência da região, que influência no trabalho de quem depende do turismo. O proprietário e comandante da escuna Indiana, Leonardo Vieira, fez um desabafo.

O proprietário e comandante da escuna Indiana relata que a aparência prejudica o negócio.

“ Faz tempo que isso está assim. Tudo está horrível e depõe contra a gente que trabalha aqui. Sem dúvida se já estivesse tudo arrumado seria muito melhor para trabalhar. Nós sabemos que a reforma está para vir, já aconteceu para o lado de lá e via vir para o lado de cá e estamos esperando. Mas eu acho que a prefeitura deveria cuidar disso aí porque é uma questão de segurança também”.

O turista Iuri Soares, de Belo Horizonte, afirmou que teve receio de passear na escuna quando chegou ao local. “É delicado porque o turista vem em busca de uma coisa bonita por ser uma cidade praiana e a gente encontra esses ferros e falta de segurança. Muita gente vem com criança e acaba que a gente fica com receio de passear na escuna pela falta de estrutura aparente né. Mas a gente vê que a responsabilidade não é da escuna, mas sim da prefeitura. Acho que deveria ter uma estrutura melhor e mais proteção”.

Segundo a funcionária da escuna Monte Santo, Sandra Coimbra, as reclamações dos turistas são constantes. “Os turistas reclamam que é um lugar tão bonito e quando chegam aqui para tirar foto e está tudo caindo, um monte de ferro aparecendo. As fotos são sempre tiradas de meio corpo para não mostrar essa feiura”.

Turistas ficam frustrados com a aparência do local.

Sandra relatou ainda que recentemente houve um acidente no local. “Há seis meses mais ou menos uma pessoa estava pescando aqui e quando encostou na mureta tudo desabou. Graças a dez ele não machucou porque a maré não estava vazia, então não bateu na pedra. Tem um pedaço ali que está tudo mole. Do outro lado caiu um bom pedaço, eles foram e colocaram esse tapume aqui para fazer a obra, mas depois começaram a obra de lá para cá e deixaram tudo do jeito que tá”.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES) é o responsável pela obra de revitalização da Orla do Canal e informou que o local, assim como a Rua Joaquim Augusto de Castro, será reurbanizado com as obras que estão em execução. O DER disse ainda que haverá um novo cais para embarcações de pesca e escunas. Mas que por enquanto, os trabalhos estão concentrados na Avenida Pedro Ramos, onde o trânsito será liberado até o fim deste mês. A previsão é que ainda neste semestre comecem as intervenções na altura da Rua Joaquim Augusto de Castro. O órgão também se comprometeu em enviar uma equipe ao local verificar a situação.

Comments are closed.