Há dois meses a pequena Thaila Beatriz Borges Silva, de 3 anos, está internada no hospital Nossa Senhora da Glória, em Vitória. Ela sofreu uma AVC e a família precisa de ajuda para continuar tratando a criança.

Segundo o pai, Thaila já consegue abrir os olhos, mas não fala e se alimenta por sonda. Foto: Arquivo Pessoal

O pai da menina, Marcelo Borges dos Santos, de 29 anos, relatou que “ela vinha sofrendo com muita dor de cabeça. Mas ela ia para a creche a pé e como estava tão quente e nós pensávamos que era por causa do sol quente. Depois deu uma parada, mas em agosto voltou muito forte. Ela não estava mais se alimentando nem estudando. Só chorava de dor”.

Segundo ele, a filha foi levada para o Hospital Francisco de Assis quatro vezes no mês de agosto e no dia três de setembro os médicos decidiram fazer a transferência para Vitória. “No dia três à noite fomos para lá de novo e a médica disse que o que ela tinha não era normal e que iria encaminhar ela para Vitória. Quando chegamos aqui, no dia quatro, ela teve duas convulsões e uma parada cardíaca”.

Marcelo contou que a Bia, como é mais conhecida, já passou por duas cirurgias e que não existe previsão de quando ela terá alta. “Ela fez uma cirurgia na cabeça para drenar o cérebro e uma traqueostomia. Agora está se recuperando na medida do possível. Mas é muito raro o que aconteceu com ela e o médico não tem previsão de alta ainda”.

Marcelo e a filha Thaila Beatriz no hospital Nossa Senhora da Glória, em Vitória, onde ela se recupera de uma cirurgia na cabeça e uma traqueostomia após sofrer o AVC. Foto Arquivo Pessoal

“Ela ficou na CTI entubada por um mês, depois foi para o isolamento e agora está na neurocirurgia. Ela está com os olhos abertos, mas não consegue falar e se alimenta por sonda”, relatou o pai.

Ele disse ainda que o grupo Cheios da Graça e a comunidade do bairro Adalberto Simão Nader, onde moram, tem os ajudando promovendo eventos de futebol e uma ação entre amigos para que eles pudessem comprar os aparelhos respiratórios necessários para facilitar a respiração da Paula Beatriz, já que ela passou por uma traqueostomia. Mas além disso, eles também precisam fazer melhorias no quarto da menina.

“A gente está tentando ajeitar o quarto dela para quando ela for para casa. Mas falta colocar um ar condicionado para evitar bactérias porque ela tem um edema na cabeça e a traqueostomia no pescoço e o quarto dela não tem janela. A gente tentou quebrar lá, mas o vizinho não deixou e um quarto abafado para uma vítima de AVC é complicado. Já quando o quarto dela estiver todo montado ela não vai precisar ficar indo para o hospital direto”.

Marcelo relatou que a filha nasceu sem nenhum problema de saúde, mas nos últimos tempos vinha se queixando de dores de cabeça até que há dois meses sofreu o AVC. Foto Arquivo Pessoal

Além do ar condicionado, a família também precisa de doação de fraldas geriátricas. “Ela precisa de fraldas geriátricas tamanho “P” porque gasta muito e em casa só eu que trabalho. Ela usa de três pacotes por dia porque ela toma muito soro e faz muito xixi”.

O pai relatou que trabalha como gari há quatro anos e que também precisa de ajuda para poder visitar a filha doente. “A gente gasta muito com gasolina e pedágio porque tenho que ir de dois em dois dias para Vitória para revessar com minha esposa no hospital. Ela chegou a ficar 15 dias direto lá na época da cirurgia, mas ficar dormindo na cadeira é muito cansativo. Então preciso dessa ajuda”.

Quem quiser ajudar a pequena Thaila Beatriz doando fraldas, um ar condicionado ou recursos para ajudar a família a continuar indo visitá-la pode entrar em contato com o pai no 99645-7900 ou com a Marcela do Grupo Cheios de Graça no 99619-8836.

 

Deixe seu comentário