O maratonista Marivaldo Neri de Oliveira, de 37 anos, e sua esposa, Leiliana Maria de Jesus Santos, de 32 anos, foram assassinados na rua Paysandu, no bairro Prainha de Olaria, na manhã desta sexta-feira (20). 

Marivaldo foi mortos na Prainha de Olaria, onde moravam, quando seguiam para o trabalho. Foto: Whatsapp

Segundo a perícia, Marivaldo levou um tiro abaixo da linha umbilical e uma facada no quadril e ainda assim correu cerca de 500 metros para tentar escapar. Já Leiliana foi atingida por três tiros nas costas, um no peito na altura do coração e no braço esquerdo. Inicialmente, a perícia não soube informar quem pilotava a moto. Para a Polícia Militar a suspeita de um possível assalto está descartada, já que nenhum dos pertences do casal foi levado.

A cunhada de Marivaldo, Meire Marcia Vieira lima, de 42 anos, disse que a família não sabe de nada que possa ter motivado o crime. “Perdi minha irmã não tem dois meses e agora ele e a mulher. Eles deixaram quatro filhos. Um está na Bahia e está vindo. Eles não tinham problema nenhum”, disse a cunhada emociondada.

Segundo Meire, o casal era da Bahia e morava no bairro há pelo menos 15 anos, mas fazia planos de se mudar. “Ele já ia vender a casa. Anteontem me ligou dizendo que iria sair daqui para ir morar no kubitscheck”. 

Segundo a perícia, Marivaldo foi morto com um tiro e uma facada. Já Leiliana levou quatro tiros, sendo que um deles foi próximo ao coração. Fotos: Rafaela Patrício

Marivaldo é irmão do também maratonista Marcos Neri e no último domingo (15) participou da Meia Maratona do Descobrimento em Porto seguro, na Bahia, onde ficou em 1º lugar na faixa etária 21 quilômetros 35/39 anos masculino. Ele também tinha um cômodo onde colecionava troféus e medalhas.

Além de atleta, Marivaldo era office boy em uma ótica há 6 anos, e Leiliana era doméstica na casa do patrão do marido há 2 anos. O casal seguia de moto para o trabalho quando foi morto.

Marivaldo colecionava medalhas e troféus. Sua cunhada, Meire, mostra a última conquista do atleta no domingo (15), em Porto Seguro. Fotos: Rafaela Patrício

Um colega de trabalho afirmou que o casal era honesto e não imagina o porque foram vítimas de tamanha violência. “O Marivaldo trabalhava com a gente há bastante tempo. Era um esportista e foi premiado várias vezes. Era um dos melhores do Estado e a gente não vê nada que possa motivar essa tragédia. Para gente foi uma surpresa muito grande. Ele e a esposa eram trabalhadores e brigavam para ter uma vida digna.Nosso Brasil está muito violento, mas a gente só sente isso quando acontece com uma pessoa próxima da gente”, lamentou o amigo. 

Os corpos foram levados para o Departamento Médico Legal e o caso será investigado pela Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Guarapari. 

Deixe seu comentário

Comments are closed.