A participação de jovens e menores em assaltos e furtos tem sido cada vez maior em Guarapari. Segundo registros da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), em 2017, 63 menores foram apreendidos por cometer estes tipos de crime e somente nos três primeiros meses de 2018 foram 10 menores aprendidos. Se lembrarmos que estes são dados apenas de uma delegacia e que adolescentes e jovens também participam de homicídios e tráfico de drogas, vamos perceber o quão alarmante é esta situação. 

Na segunda reportagem especial “Os jovens e o crime” conversamos com o delegado titular da Depatri, Marcos Nery. Confira a opinião dele sobre o envolvimento de pessoas tão jovens com a criminalidade!

Portal 27. Delegado, na sua opinião, porque tantos jovens estão envolvidos no crime?

Nery. O que a gente percebe é que a juventude está cada vez mais audaciosa. Elas que enfrentam a polícia e encontram os maiores benefícios. Os pais não podem educar como antigamente porque tem toda uma cultura de ser contra os pais. O limite não é mais imposto nem pelos pais nem pela escola porque se o professor chama atenção, logo vem alguém e censura. O professor deveria ser a pessoa mais respeitada e valorizada e não é. Muitas vezes eles são ameaçados e ficam com receio de impor limites. Nós como policiais também temos uma série de limites para atuação com relação ao menor. Então o menino sabe ter relação sexual, manuseia a tecnologia muito bem e sabe o que é certo e o que é errado, mas a gente não pode demonstrar que o ato dele tem uma consequência. Por exemplo, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) prevê que nos crimes que não envolvem grave ameaça o adolescente é liberado. Ele pode estar com uma arma ou ser pego com um monte de drogas que é liberado, por isso, os traficantes usam os menores. Eles têm certeza da impunidade.

O delegado titular da Depatri, Marcos Nery, afirmou que os adolescentes são mais violentos que os criminosos mais velhos. Foto: Rafaela Patrício

Portal 27. No caso de crimes contra o patrimônio, qual tipo de produto é o principal alvo deles?

Nery. Eles roubam celulares e preferem pegar vítimas mais indefesas como adolescentes também, mulheres ou idosos. Eles usam armas de fogo para cometer roubos e como sabem que no máximo de internação que vão ter será de poucos dias não estão se importando mais com qualquer tipo de punição.

Portal 27. Eles são mais violentos que os criminosos mais velhos?

Nery. O enfrentamento e a audácia dos adolescentes são maiores. Eles não têm limites e não conhecem o medo do ato deles ter alguma consequência. A gente tem percebido que as vítimas têm sofrido muito mais nas mãos de adolescentes do que de pessoas adultas.

Portal 27. O que deveria ser feito para reduzir ou acabar com o envolvimento dos jovens com a criminalidade?

Nery. Acho que tinha que se investir pesado na educação. O jovem tem que estar com a mente ocupada e frequentar escola em período integral. O adolescente que fosse visto na rua no horário escolar tinha que ser encaminhado para casa ou para escola, não tinha outro lugar para ele estar. Escola é local de aprender cidadania, estudar e fazer atividades físicas. Infelizmente, a gente não vê isso acontecer na prática. Há uma grande evasão escolar e a polícia não vai consertar este problema. São muitos adolescentes apreendidos por tráfico de drogas e roubos com violência e a gente não vê esperança deles se recuperarem porque a educação de berço e fundamental tinham que ser mais marcantes.

Comments are closed.