Depois de completar mais de 100 dias de governo, o prefeito de Guarapari Orly Gomes (DEM), reuniu a imprensa no dia de hoje (27) para apresentar o seu plano de governo e os investimentos e obras que pretende fazer.  Além da imprensa, estiveram presentes durante a coletiva, servidores, secretários e alguns vereadores.

Logo PMG

A coletiva, que também serviu para apresentar a nova logomarca da gestão de Orly com o slogan “Juntos Vamos Evoluir”, aconteceu na escola Ana Rocha Lyra, onde a secretária de comunicação, Erika de Carvalho, começou falando sobre os projetos que serão feitos, de acordo com o plano de governo, em áreas como saúde , educação, turismo, trânsito, transporte, entre outros itens.

DSC03863
secretária de comunicação, Erika de Carvalho, começou falando. Foto: Roberta Bourguingnon.

Prestação de contas. A secretaria continuou a apresentação dos investimentos que serão feitos pelo governo Orly.  Foram apresentadas obras que serão feitas na Praia do Morro, Santa Mônica. Também foi explicado sobre obras na zona rural da cidade, em áreas como esporte e lazer.

Turismo. Os jornalistas começaram perguntando sobre turismo, querendo saber se a prefeitura tem projetos ou equipe preparada para buscar recursos junto aos governos estadual e federal. Orly respondeu dizendo que tem sim uma boa equipe, mas nem sempre existem recursos. “Sempre escutamos que existem recursos desses governos, mas nem sempre eles têm recursos e você nem consegue colocar os seus projetos para receber estes recursos”, afirmou.

DSC03921
Prefeito Orly respondeu a todas as perguntas. Foto: Roberta Bourguignon.,

Depois foi perguntado ao prefeito sobre a limpeza dos terrenos que tem acontecido,por exemplo,na Praia do Morro. Ele respondeu que a PMG esta limpando para ajudar, mas que logo os proprietários serão notificados e receberão multas, se não limparem sua propriedades.

Licitação.Outra pergunta que surgiu foi sobre os taxistas, licitação e novos ônibus da Asatur. Orly explicou que por enquanto, nada pode fazer devido a ordem judicial.  “Sobre os táxis, nós temos uma demanda judicial e temos que cumprir. Não podemos ir contra ordem judicial. A Asatur nos avisou que chegariam 20 ônibus novos, eles queriam aumentar a frota, mas estamos proibidos. O Juiz liberou 20 ônibus novos ônibus apenas para substituir os ônibus antigos”, explicou completando.  “A população vai estar circulando em ônibus novos, nosso povo merece coisa melhor”, disse ele afirmando ainda, que quando a  justiça autorizar, a prefeitura vai fazer a licitação.  Orly anunciou que pretende construir uma ciclovia de Setiba até a ponte.

DSC03856
Slides foram apresentados com os investimentos. Foto. Roberta Bourguignon.

Bilhete eletrônico. Perguntado sobre o que acha da revogação da lei da bilhetagem eletrônica, o prefeito disse que Câmara Municipal cometeu um retrocesso, dizendo que se a outras empresas não conseguem se equipar com a catraca eletrônica, não teriam capacidade de oferecer bons serviços à população.  Ele disse ainda que o passe de papel acaba virando moeda. “Moeda paralela é nociva à sociedade”, afirmou. “Queremos que as empresas que tenham a capacidade de ter o cartão, que tenham capacidade de investir”.

100 dias. Perguntado sobre os 100 dias da sua gestão explicou que tem avançado lentamente. “A gente vem trabalhando lentamente, estamos em uma recessão em todo o país (…) estamos terminando as obras do governo passado. Estou aprendendo a ser um administrador público. Temos que trata de ralar, se não ralar não aprende”, diz.

Praias. Orly também foi perguntado sobre a orla de Meaipe. Ele explicou que existem projetos de revitalização de várias praias. Sobre as Três Praias, ele disse ser a favor de investimentos turísticos, tal como implantar um resort na região.

DSC03883
Orly prometeu concluir obras de Santa Monica. Foto. Roberta Bourguignon.

Escola. Perguntado sobre a situação da escola Florisbela, que foi interditada, o prefeito disse que a empresa que ganhou não tinha condições de fazer a obra, ganhou com menor preço, mas não fez um bom serviço. “Ficou conclusa e não está atendendo a contendo”, disse, explicando que a nova escola será alugada para os alunos por R$ 8 mil reais e que o prazo é de 90 dias a 120 dias para entregar a escola.

Dívidas. Perguntado se herdou dividas das gestões anteriores, ele respondeu que não herdou dívidas. Apenas obras inacabadas que estão sendo concluídas em sua gestão.

Vendedores. Também surgiu o assunto dos vendedores ambulantes. Que estariam sem poder trabalhar, por falta de licença. Afirmou que será agendada uma reunião no dia 5 na camara para tratar do assunto.

Reeleição. Em dado momento da entrevista o prefeito disse que fará o seu trabalho “Não me preocupo com reeleição. Não estou aqui para ser reeleito, estou aqui para administrar”, afirmou.

Governos. Perguntado de qual a diferença do seu governo para os anteriores foi diplomático. “Os governos são diferentes. Na maneira de ser, de trabalhar, de ver as coisas. O momento era outro. O que eu tento fazer e dar sequencia, só tem uma obra que está parada. Mas todas estão sendo feitas, tocadas com a mesma visão, evoluindo de uma maneira, que essa seja a minha cara, a minha gestão, não igual à outra, a passada”, diz.

Ficha limpa. Perguntado sobre a questão da lei da Ficha Limpa, e da possibilidade de alguns secretários serem enquadrados na situação, ele respondeu que confia na equipe. “Até o momento, essa lei não atinge essa pessoa. A Ação que essa pessoa fez não cometeu danos ao município. Existe uma diferença de uma pessoa que cometa um ato de uma pessoa que desvia recursos. A lei não a alcança”, disse explicando que vai sempre defender os membros de sua equipe.

Edson. Ainda de acordo com Orly ele “acertou em cheio” na escolha de seus secretariados “Todos unidos, trabalhando redondinho. Fazendo tudo evoluir, procurando atender o povo, cada um na sua pasta. Eu sou mais liberto, Edson era mais centralizador”, explicou ele citando Edson pela primeira vez e dizendo que dá mais autonomia aos seus secretários. Ele ainda afirmou que a prisão de Edson foi uma aberração, pois ele teria ficado 50 dias preso, sem ninguém provar nada contra ele. “Se contar, ninguém acredita”, disse.

DSC03875
Imprensa acompanhou tudo. Foto Roberta Bourguignon.

Hospital. Perguntado sobre como anda o hospital, ele disse que o projeto atrasou um pouco. “Nosso projeto está todo entregue na Caixa Econômica federal, mas temos pendências, que devemos acertar dentro de 15 dias”, explicou prometendo ainda que vai entregar o hospital na sua gestão. “Já conversei com o governador, ele vai me ajudar a fazer o hospital. A gestão do hospital será estadual”, disse. Ainda de acordo com ele houve uma diminuição dos leitos. Dos 200 prometidos, agora serão 170 .

Santa Casa. Perguntado sobre a situação da Santa Casa, que iria assumir o Hospital São Judas, Orly afirmou que a Santa Casa desistiu. “A Santa Casa não vem mais.  Foram muitos problemas burocátricos, agora estamos vendo a possibilidade de que assuma um Hospital de Cachoeiro. Só falta definir questões de valor. Pode ser que eles até comprem o hospital. Se eles comprarem vai ser mais rápido. Esse hospital em Cachoeiro tem 26 UTIS”.

Promessas. Na saúde foi falado sobre as unidades de saúde que serão entregues, nos bairros Setiba e Kubitschek.  A entrega do Centro de Especialidades Médicas em Muquiçaba. Informática na rede de saúde, para facilitar agendamento. Promete aumento de 26 para 60% na atenção primaria na saúde. Ou seja, nas unidades de saúde.

O Portal 27 está preparando uma reportagem especial, detalhando todo o projeto de Governo apresentado por Orly hoje. Aguarde, fique conectado em nosso Portal27. 

Por Wilcler Carvalho Lopes e Roberta Bourguignon.

 

Deixe seu comentário