Um ônibus, duas vans e um veículo de uma empresa de transporte foram apedrejados em Guarapari por dois adolescentes que foram apreendidos pela Polícia Militar e levados à Delegacia. Segundo a polícia, uma estudante foi atingida no rosto, com estilhaços de vidro após uma das pedras ter acertado o ônibus onde ela estava. O caso aconteceu na tarde de ontem (24) e repercutiu durante a noite.

Adolescentes suspeitos de apedrejar os veículos foram apreendidos e segundo a polícia, eles disseram que era brincadeira. Foto divulgação

Os motoristas de vans e universitários fizeram um manifesto na Praça do Pedágio, por volta das 23h, pedindo mais segurança e iluminação na Rodovia do Sol, no trecho que compreende a Praça do Pedágio e o Trevo de Setiba. Os motoristas contaram que essa situação dos veículos apedrejados vem sendo recorrente.

“A nossa reivindicação toda é a respeito da segurança. Já tem 2 meses que estamos passando por isso. Na minha empresa dois carros já foram atingidos por pedradas, um foi na quarta-feira saindo de Vila Velha para Guarapari e a outra situação foi ontem 13h voltando de Vila Velha para Guarapari. Todos dentro da van ouviram o barulho, mas por sorte o motorista não parou, pois parar é fatal, é roubo na certa”, disse Douglas Santos, dono de empresa de transporte.

A estudante de biomedicina, Nina Molica, contou que voltava da faculdade quando o ônibus em que estava foi atingido por uma pedrada. “A pedra pegou no nosso ônibus e atingiu a minha janela. Eu estava dormindo, escutei um barulho alto e levei um susto, por sorte nosso motorista não parou”, o caso aconteceu no início da semana.

Paralisação na Praça do Pedágio durou 30 minutos

Segundo os motoristas, eles paralisaram ontem na Praça do Pedágio reivindicando mais segurança para que a situação não se repita. Cerca de dez vans e dez ônibus participaram do manifesto. Eles contaram que o trecho onde vem ocorrendo as pedradas está escuro e pedem mais segurança e iluminação.

A universitária, Isabella Iasmyn Lima, 20, contou que ficou cerca de trinta minutos parada junto com outros estudantes durante o movimento.

“Eu fiquei chateada porque estávamos lá, aguardando uma segurança para atravessar o trecho que está perigoso e nenhuma autoridade tomou providências”.

Por nota, a RodoSol informou que recebeu o primeiro registro desta ocorrência no dia 24 de outubro, às 12h54. “Imediatamente, o Centro de Controle Operacional da concessionária (CCO) acionou à Polícia Militar que se dirigiu ao local e identificou os responsáveis. Equipes da RodoSol também se deslocaram até o local, mas não havia vítimas para prestar o socorro”, diz a nota.

De acordo com o capitão Cavatti, da 3ª Companhia do 10º Batalhão da Polícia Militar, a polícia foi acionada ontem (24) à tarde por motoristas de van, de que os veículos estavam sendo apedrejados.

“Assim que soubemos do ocorrido, nossas viaturas fizeram um cerco e chegamos até dois adolescentes que estavam com estilingue e confessaram que estavam jogando pedras nos ônibus e nas vans e que faziam isso por brincadeira”, comentou ainda que uma viatura vem fazendo a ronda no bairro Villagio do Sol, e que os assaltos a transporte coletivo tem reduzido na região.

“Na semana passada, fizemos uma reunião com a comunidade e nos foi solicitado mais iluminação no trecho, porém nesse caso, a responsabilidade não é nossa. O que estamos fazendo são abordagens a ônibus e o trabalho de policiamento ostensivo na região”.

A RodoSol informou que toda a iluminação do Sistema Rodovia do Sol foi executado conforme estabelecido em contrato e reforça que implantação de iluminação pública, conforme legislação federal, é responsabilidade do município.

A Prefeitura de Guarapari, por meio de nota, informou que o Setor de iluminação da Companhia de Melhoramentos e Desenvolvimento Urbano de Guarapari (Codeg) informa que trata-se de uma Rodovia Estadual, que está sob concessão da Rodosol. O trecho não é de responsabilidade do município.

Deixe seu comentário