Parentes de pacientes da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Guarapari fizeram na tarde de hoje, uma manifestação por causa da demora no atendimento na unidade de saúde. Cerca de 20 pessoas que esperavam com seus parentes e amigos para serem atendidos se revoltaram com a demora em serem atendidos e resolveram interditar a rua em frente a UPA.

IMG_0269 (Medium)
Moradores amontoaram alguns pedaços de madeira e até um colchão velho e atearam fogo. Foto: João Thomazelli/Portal27

“Eu cheguei com minha esposa passando mal às 8h30 e até à 13h30 ela ainda não tinha sido atendida. Eu e outras pessoas que já estávamos de saco cheio de esperar resolvemos botar fogo em uns pedaços de pau para chamar a atenção”, contou Moisés Meirelles, 42 anos.

IMG_0263 (Medium)
A Polícia Militar chegou e os ânimos se acalmaram e os manifestantes liberaram a rua. Foto: João Thomazelli/Portal27

Os manifestantes disseram ainda que apenas um médico atendia na emergência e outro no plantão, mas um deles foi almoçar e o atendimento era feito por uma enfermeira. Depois de amontoarem alguns pedaços de madeira e até um colchão velho, os parentes de pacientes da UPA atearam fogo e fecharam a rua. Logo em seguida a Polícia Militar chegou e os ânimos se acalmaram e os manifestantes liberaram a rua.

Eles prometeram uma manifestação maior no próximo mês para cobrar melhorias no sistema de saúde da cidade e melhor infraestrutura para a UPA.

“Pela manhã chegou um rapaz com a mão quebrada e nem enfaixaram a mão dele. Ele saiu daqui com os papeis na mão e foi de carona em um carro para Vitória. Nem uma ambulância tinha para levar ele”, conta Josué Paulo de Jesus, 38, que também estava na manifestação e esperava o atendimento da esposa de um amigo. Procurada, a prefeitura respondeu através da Secretaria de Comunicação que o caso será repassado a Secretaria de Saúde, que vai apurar as reclamações dos pacientes sobre o atendimento de hoje.

 

 

Deixe seu comentário