Os servidores públicos da Prefeitura de Guarapari se juntaram, fizeram uma rifa e até um livro de ouro para arrecadar o dinheiro e comprar o carro para o amigo que estava indo e voltando a pé para casa nos últimos 3 meses. A entrega do carro ocorreu ontem, durante o café da manhã de confraternização do dia do servidor.

Alfredo Carlos da Silva, 68 anos trabalha na prefeitura há 39, ele teve seu veículo furtado na Praia do Morro, em julho, depois de ter esquecido de colocar o carro na garagem. Acordou no dia seguinte para pegar o veículo para trabalhar, e percebeu que havia sido roubado. Ele ficou desolado. O carro um fiat uno branco chegou a ser encontrado após o roubo, mas estava todo deteriorado e não havia mais condições de trafegar.

 

 

Foram 100 bilhetes de rifa vendidos mais a ajuda no livro de ouro.

Comovidos com a situação, os amigos de trabalho se mobilizaram para comprar um carro para o Alfredo. Márcio Siqueira e Luiz Antônio Pereira, o pinguim, se juntaram para promover a ação solidária. Eles também contaram com ajuda de outro amigo comum, o aposentado, Júlio Nogueira. E no final da mobilização, até servidor que mora em outro país comprou a rifa para ajudar o Alfredo.

Foram arrecadados R$5.000,00 cinco mil reais com a rifa, sendo que quem ganhava a rifa, concorria a R$500,00 quinhentos reais. E com o livro de ouro, eles arrecadaram R$2.000,00 tirando o pagamento do sorteio, o carro, um escort ano 1992 e a reforma, tudo ficou em torno de R$6.500,00.

“Alfredo é muito querido e todo mundo quis ajudá-lo. Um amigo nosso do Canadá comprou a rifa, muitos servidores compraram e alguns amigos ajudaram no livro de ouro”, disse Antônio Luiz Pereira, o pinguim.

A entrega do carro, aconteceu em meio a festa do servidor com música, café da manhã e  a presença de demais servidores.

“Eu estou numa emoção muito grande porque eu não esperava isso dos meus colegas, pela

vivência que eu tenho aqui, com 39 anos de prefeitura. Foi muito gratificante ter esse presente no fim da minha carreira e estou emocionado. Fizeram até uma festa, com música e tudo, até coral de violino teve”, disse Alfredo.

Outro servidor que também foi ajudado nessa mobilização foi o Antônio Manoel Silva Miranda, 57 anos, o tony. Ele contou que seu pai de 80 anos bateu em um carro e teve de comprar o veículo para evitar futuros problemas.

“A minha parte é triste. O meu pai tinha batido na traseira do escort e o dono queria vender para não fazer o serviço na oficina. E eu para evitar dores de cabeça, acabei comprando o carro e vendi para os meus amigos por um preço menor e também para me livrar do problema. Fico feliz pelo Alfredo pois nos conhecemos há muitos anos”.

 

Deixe seu comentário