A Unidade de Pronto Atendimento Infantil de Guarapari (UPAI)  está com os dias contados. De acordo com informações obtidas pelo Portal27, o UPAI Zilda Arns – criado para atender exclusivamente as crianças de 0 a 12 anos da cidade – vai dar lugar a uma maternidade vinda de Cachoeiro, que deve gerir o local.

Em uma reunião ontem com funcionários, foi passada a informação por membros do poder executivo, de que eles serão realocados para os postos de saúde e também para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ipiranga.

UPAI na Praia do Morro. Foto: ASCOM/Prefeitura de Guarapari.
UPAI na Praia do Morro. Foto: ASCOM/Prefeitura de Guarapari.

De acordo com quem participou da reunião, esta operação deve levar cerca de 90 dias e em novembro a nova maternidade de Guarapari estará funcionando. “A mãe tem o filho, mas perde o atendimento priorizado para ele”, disse um funcionário dando o alerta de que seria resolvido um problema, mas criado outro.

O vereador Ozil Pereira (PPS), membro da CPI da saúde, disse ao Portal27 que não sabe nada sobre o fim da UPAI. “Até onde eu sei, nas reuniões que tive com o prefeito e com membros do governo, nos foi passado que a UPAI continuaria no mesmo local, mesmo com a implantação da maternidade”, explicou ele.

Ainda de acordo com Oziel, os técnicos do governo, que estiveram visitando os hospitais, São Judas e Nossa Senhora da Conceição, detectaram que o melhor local era a UPAI. “E é a melhor estrutura, os outros hospitais não tinham a mínima condição”, afirmou.

Estrutura. A UPAI Zilda Arns possui dois pavimentos com recepção, 03 consultórios, 12 leitos, sala de triagem, sala inalação, sala curativo, sala sutura, sala vacina, sala de emergência, sala intermediária, sala de medicação, sala de estar, sala de reunião, isolamento, esterilização, expurgo, sala de raio-x, posto de enfermagem, farmácia, laboratório, refeitório, lanchonete, brinquedoteca, ala de repouso e amplo estacionamento com 21 vagas, além de outras dependências.

inaugUPAI17
Estrutura do UPAI seria a melhor: Foto: Asscom PMG

Conselho. O próprio prefeito de Guarapari, Orly Gomes (DEM), esteve presente no dia primeiro deste mês, na Sala do Conselho Municipal de Saúde, participando da 7ª Reunião Ordinária, para conhecer os conselheiros.

Na ocasião, Orly deu explicações a respeito da maternidade e confirmou o fim do UPAI “Achamos muito interessante a visita dele, pois ele se mostrou, diferente de outros gestores municipais e estaduais, mostrando que o Conselho deve ser ouvido em todas os assuntos que envolvem a saúde do munícipio”, disse um conselheiro que não quis ser identificado, reafirmando que o UPAI é o local que o Conselho indicou para a implantação  da maternidade. “Pois a estrutura não está sendo utilizado em toda sua capacidade”, explicou.

Ainda de acordo com o conselheiro, o próprio prefeito disse que o UPAI vai deixar de funcionar ali. “Ele disse que todos os funcionários serão realocados, sendo que o governo, através desta equipe do hospital e Cachoeiro é que vai gerir toda a maternidade. O UPAI não será mais ali”, disse ele, explicando que as crianças seriam atendidas na UPA do Ipiranga.

Os funcionários do UPAI, estão preocupados com as mudanças “Muitos trabalham a noite e tem outros empregos de manhã. Com essa mudança não vão poder trabalhar em dois empregos”, disse um funcionário.

Procuramos a PMG através da assessoria de comunicação, para nos informar sobre o que já estaria definido sobre a maternidade. A prefeitura nos respondeu através de nota, que não há nada definido ainda.

Confira a nota na integra.

A Prefeitura vê essa situação crítica como prioridade, e já decretou em março deste ano SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA MATERNO INFANTIL NO MUNICÍPIO, afetado pela falta de assistência adequada ao recém-nascido e a puérpera, em face da interdição do único hospital que realizava partos pelo Sistema Único de Saúde.

O prefeito por sua responsabilidade humana, social e como gestor, está articulando junto à Secretaria de Estado da Saúde, com o próprio Secretário de Estado, a identificação de um espaço com estrutura que permita a implantação de uma maternidade em Guarapari. Há previsão de que dentro de aproximadamente 30 dias haja definição do local, até que o hospital de Guarapari esteja construído.

Hospital São Judas Tadeu. Foto: TV Gazeta.
Hospital São Judas Tadeu. Foto: TV Gazeta.

Histórico. Todo esse imbróglio aconteceu em virtude dos problemas ocorridos com o Hospital São Judas Tadeu, que em fevereiro deste ano foi interditado devido a mortes de bebes na cidade. Confira mais matérias sobre o assunto nos links abaixo.

Matérias Saúde

 

Deixe seu comentário