Mais uma sessão movimentada na tarde de ontem (21), no plenário Ewerson de Abreu Sodré. Desta vez, para evitar mais polêmicas, os vereadores preferiram não votar com urgência o projeto do Executivo que vai ajudar a municipalizar o trânsito de Guarapari. O projeto 076/2015 terá que tramitar na Casa de forma normal.

Primazia. O vereador Lincoln Bruno Cavalcanti pediu – logo no início da sessão – primazia e dispensa de interstício em regime de urgência para o projeto 076/2015, que cria o Fundo Municipal de Trânsito e Transporte.

Vereadores
O projeto 076/2015, que cria o Fundo Municipal de Trânsito e Transporte vai ter que tramitar de forma normal na casa. Foto: Jamille Scopel/portal27

O pedido foi colocado em votação e não foi aprovado. Foram nove votos contrários e cinco a favor da dispensa. Desta forma, a matéria terá que ser estudada de forma cautelosa pelas comissões e só então voltar para primeira e depois segunda discussão na pauta. Para, então, ser aprovado. Isso vai causar ainda mais atrasos para a implantação do rotativo, uma vez que uma das exigências da lei é ter este fundo criado.

Lincoln
O vereador Lincoln Bruno pediu regime de urgência para o projeto. Foto: arquivo/portal27

Justificativas. Os vereadores explicaram que não são contra o projeto que cria o Fundo, mas que é necessário votá-lo com calma e analisar bem o conteúdo, para que não se cometa nenhum erro.

Pedido de vistas. Outro projeto do Executivo também foi impedido de ser votado ontem. O vereador Serjão pediu vistas da matéria 074/2015. O projeto prevê a abertura de crédito especial no valor de R$ 60 mil, para a aquisição de um veículo para a rede de frio da secretaria de saúde.

Projeto aprovado. Já o projeto 075/2015, também do Executivo, foi aprovado. Ele autoriza a abertura especial de crédito no valor de R$ 496 mil, para a construção de novos Centros de Referência e Assistência (CRAS) para as famílias do município.

Deixe seu comentário