A Prefeitura Municipal de Guarapari, informou hoje a imprensa, sobre o cancelamento da  Audiência Pública  que aconteceria amanhã em Meaípe. De acordo com a nota, o cancelamento foi pedido pela própria empresa. A Soliddo estaria em processo de licenciamento para conseguir autorização de construir oito torres de 20 andares em uma região do bairro Enseada Azul.

Sol
Imagem de um dos prédios da Soliddo. Foto reprodução internet.

Confira abaixo a nota.

Cancelada Audiência Pública de empreendimento em Meaípe

A Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Rural e Urbano – SEMPRAD, informa que a Audiência Pública prevista para o dia 30 de julho de 2013 no Hotel Pousada Meaípe foi cancelada em atendimento a solicitação da empresa Soliddo Construtora e Incorporadora Ltda, inscrita no CNPJ 07.695.574/0001-70. O Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari  CMPDG aguarda a confirmação de nova data, e quando definida, será amplamente divulgada.

A prefeitura não explicou detalhes do cancelamento. Mas na  cidade, já começam a existir pressões contra a obra. De acordo Matheus Costa, presidente da Ong ambiental  Gaya Religare, embora o Plano Diretor Municipal (PDM) autorize a obra, eles vão lutar para impedir. “Não concordamos com essa construção e faremos o que for possível para impedir, inclusive na justiça”, disse ele, explicando que a obra não respeita o meio ambiente, pois seria próxima a uma lagoa.

1075482_420803444695295_1203505695_o
O local demarcado em negrito seria o local do empreendimento. Foto. Reprodução internet.

O outro lado. O portal 27 entrou em contato com a empresa Soliddo, onde o proprietário Vitor Hugo, explicou que a empresa, não cancelou nada.

Apenas juntamente com a prefeitura de Guarapari, resolveu adiar a audiência, para que sejam preparados vídeos explicativos para os questionamentos feitos pela população guarapariense. “Estamos preparando vídeos para relatar os impactos socioeconômicos que serão gerados com esta obra”, disse. Uma nova data ainda não foi definida.

Vitor Hugo ainda relatou que 33 áreas da economia serão atingidas, que vão do comércio aos taxistas. “Economia essa, não somente para o município, mas também para o estado”.

Obra: Em 45 mil metros quadrados, o proprietário pretende construir oito prédios de 15 a 22 andares. Destes 45 mil metros, o proprietário pretende preservar 38 mil para fazer uma área verde e de recreação, contendo piscina, parques e outras diversões.

Deixe seu comentário