Enterrar um ente querido em Guarapari não está sendo nada fácil nos últimos meses. O segundo cemitério público da cidade, São Tobias, já ultrapassou o seu limite de covas e o administrador do local teve que arrumar outra forma para novos sepultamentos. De acordo com uma família, a Prefeitura está enterrando quatro corpos em uma mesma cova, fora da área de jazigo.

Sepultura onde enterraram quatro corpos no cemitério São Tobias, no bairro Coroado.
Sepultura onde enterraram quatro corpos no cemitério São Tobias, no bairro Coroado.

“Não tem mais espaço para enterrar as pessoas em Guarapari”. A afirmação é da operadora de caixa Renata Lima, 35 anos, que denuncia a falta de vagas e o descaso que encontrou no cemitério que fica no bairro Coroado. Segunda ela, as condições em que os corpos estão sendo sepultado é depredatória. Há duas semanas ela enterrou o seu avô em uma cova com mais três desconhecidos.

“Fui até o cemitério que a Prefeitura tinha convênio e lá disseram que o contrato acabou. Segui até o Cemitério São Tobias e lá o homem disse que só poderia enterrar em uma cova com mais quatro pessoas que a gente não sabia nem quem era, mas era a única forma, segundo o coveiro, pois não existem mais vagas” disse Renata.

Velório encerrado antes do horário previsto

A situação ainda foi mais constrangedora, quando duas horas e meia antes do enterro do familiar de Renata, o coveiro ligou informando que eles deveriam adiantar o enterro, pois já havia uma quarta pessoa para ser enterrada no mesmo dia e lugar. A família teve que encerrar a cerimônia às pressas, para ter como enterrar o homem.

O vereador Jorge Figueiredo, o cemitério São Tobias foi construído em 1974, há cerca de 41 anos e naquela época, existiam em torno de 20 mil habitantes em Guarapari. Hoje o total já ultrapassa 120 mil.
O vereador Jorge Figueiredo, o cemitério São Tobias foi construído em 1974, há cerca de 41 anos e naquela época, existiam em torno de 20 mil habitantes em Guarapari. Hoje o total já ultrapassa 120 mil.

“Estávamos no meio do velório e passamos por essa situação. É uma absurdo. Não temos um lugar digno nem para sermos enterrados. As covas estão sendo abertas em meio onde as pessoas transitam para visitar os túmulos. Pagamos já R$ 92,00 reais para passarmos por esse tormento” desabafou Renata.

O primeiro cemitério da cidade, São João Batista, localizado no Centro, também já não possui mais vagas para sepultamentos. Hoje, somente são enterradas no lugar, as pessoas que já possuíam sepulturas há mais de 30 anos.

Prefeitura diz que procura novo cemitério

Por meio de nota, a Prefeitura Municipal de Guarapari informou que pela situação emergencial a Secretaria Municipal de Obras precisou adotar a prática, motivado pela insuficiência de vagas. Esta prática já é adotada em outros municípios do Estado. O município já está buscando área para abertura de processo de aquisição e instalação de novo cemitério.

Deixe seu comentário