Beatriz Dias Neves, 38 anos, mãe do adolescente Allan Neves Brandini, 16 que se enforcou no último domingo em sua casa em Guarapari,(reveja aqui) viajou ontem, (terça-feira) para Minas Gerais e vai passar uns dias com familiares. Segundo Beatriz, ela quer esquecer a cena que viu ao entrar em sua casa e ver seu filho morto. “Não adianta eu ficar dentro de casa, pois para cada canto que olho eu vejo meu filho, e a dor aumenta, principalmente quando eu olho a janela e o cômodo onde eu o encontrei morto”, contou emocionada.

Beatriz Dias Neves quer esquecer a cena da morte do filho. Foto: reprodução TV Vitória.
Beatriz Dias Neves quer esquecer a cena da morte do filho. Foto: reprodução TV Vitória.

 A mãe contou que no celular do adolescente não parava de chegar mensagens dos amigos virtuais e de uma suposta namorada que não sabia sobre sua morte. Segundo ela, tanto o celular quanto um pen drive com arquivos do filho estão com uma parente que irá levá-los a Delegacia de Crimes Eletrônicos em Vitória.  “Um dia eu fuçando o perfil dele vi que ele havia curtido uma bíblia satânica. A partir daí começamos a cortar a internet dele e com isso ele ficava agressivo”, disse Beatriz.

Até o celular a mãe tentou bloquear o acesso à internet ligando para a operadora, mas não conseguiu. “Os amigos virtuais colocavam crédito para ele ficar conectado”, contou.

Os pais disseram que vão ajudar na investigação: Foto: reprodução TV Vitória.
Os pais disseram que vão ajudar na investigação: Foto: reprodução TV Vitória.

Mãe diz que foi ameaçada pelo filho

Segundo Beatriz, no domingo Allan pediu ao pai para usar o computador e eles  permitiram. Porém há cerca de dez dias ela teve que chamar a polícia para controlar seu filho, que a teria ameaçado de morte. “Ele ficava sem internet e ficava vagando pela casa e batia nos móveis, e disse que uma hora ou outra iria me matar, por isso chamei a Polícia. Ele estava agressivo e com uma voz irreconhecível, e falou para polícia que fazia parte do satanismo”.

há cerca de dez dias a mãe teve que chamar a polícia para controlar seu filho, que a teria ameaçado de morte. Foto: arquivo pessoal.
há cerca de dez dias a mãe teve que chamar a polícia para controlar seu filho, que a teria ameaçado de morte. Foto: arquivo pessoal.

De acordo com Beatriz, Allan e ela discutiram após ele ameaçá-la de morte e ele sumiu. Quando ela chegou em casa o encontrou transtornado. “Eu cheguei em casa ele estava sentado na rede, com os olhos pintados de preto e com o braço todo cortado e o sangue pingando. Não parecia meu filho, ele estava muito estranho”, disse Beatriz.

 Segundo ela, o filho se cortou várias vezes e não soube precisar quantas. Já o pai do garoto, disse que ele usava até as unhas para se cortar e acredita que isso tenha relação com a seita que teria se envolvido.

Por Rosimara Marinho

Deixe seu comentário