O ex-prefeito de Guarapari Edson Magalhães, pode ter que pagar os custos referentes à segunda eleição que ocorreu na cidade. De acordo com o jornal A Gazeta de hoje, o ex-prefeito pode ser obrigado a desembolsar R$ 50 mil reais, que foram gastos pela Justiça Eleitoral, para realizar a nova eleição, ocorrida em 3 de fevereiro na Cidade Saúde.

Isso porque, desde o ano passado, a Justiça Eleitoral, em parceria com a Advocacia Geral da União (AGU), passou a cobrar as despesas dos prefeitos, que forçaram a realização de eleições suplementares.

Como se sabe, as novas eleições ocorreram, porque Edson teve o registro de candidatura indeferido em três esferas (Juiz Eleitoral, Tribunal Regional Eleitoral e Tribunal Superior Eleitoral), todos foram unânimes em dizer que Edson concorria a um terceiro mandato.

Edson está livre de um processo.
Justiça vai cobrar a conta de Edson.

Com a lentidão da decisão sobre o caso,  mesmo indeferido, Edson disputou, teve a maior votação (39,027 votos) em outubro, que foram considerados nulos. Novas eleições foram convocadas e o aliado de Edson, Orly Gomes (DEM), venceu a disputa.

De acordo com o jornal, o ex-prefeito foi procurado, mas não foi localizado para comentar a situação. Ainda de acordo com dados do TSE, desde 2008 foram realizados 179 novos pleitos eleitorais. Em 2013, já foram realizadas novas eleições em 26 municípios do país.

 

Deixe seu comentário