Por determinação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) expandiu as operações no Rio Grande do Sul para auxiliar não só em resgates, mas na segurança dos abrigos que recebem atingidos pelas enchentes. O efetivo da corporação no local chegará a 300 até a próxima semana.

A Força também está colaborando com o Corpo de Bombeiros em operações de salvamento nas cidades de São Leopoldo e Canoas. Os agentes oferecem apoio ao policiamento ostensivo em diversas localidades, como Porto Alegre e Nova Santa Rita. Neste momento, as operações estão focadas no patrulhamento e salvamento embarcados, reconhecimento terrestre, apoio à Brigada Militar e ao Corpo de Bombeiros, além de abordagens terrestres e aquáticas para resgate de pessoas e animais ilhados.

Além de ações de resgate, agentes do efetivo federal prestam apoio ao policiamento ostensivo em cidades do estado

A equipe de polícia técnico-científica tem atuado diretamente na identificação de vítimas, por meio da coordenação da Identificação de Vítimas de Desastres e no auxílio ao Departamento Médico-Legal, visando ampliar a capacidade de prestação de serviço desse órgão.

MAIS DE MIL – O contingente da corporação chega a 300 agentes. Considerando ainda a presença de Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Força Penal Federal (FPF), só o Ministério da Justiça tem mais de mil servidores em atuação no Rio Grande do Sul. Os agentes federais atuam nas áreas atingidas pelas enchentes com cinco helicópteros, 21 embarcações de resgate e 18 botes. Também estão sendo utilizados na força-tarefa federal 11 jetskis e mais de 200 viaturas (entre comuns, viaturas-reboque, caminhonetes especiais, caminhões e ônibus). Somando o efeito da Justiça com os militares, são mais de 18 mil profissionais e mais de 64 mil resgates realizados.

 

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República